Presidente moçambicano: podem ser registradas mais de 1.000 mortes por causa de ciclone

© AFP 2022 / Mission Aviation Fellowship/Rick Emenaket O ciclone Idai atingiu Moçambique, causando inundações
O ciclone Idai atingiu Moçambique, causando inundações - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ciclone tropical Idai já matou 84 pessoas em Moçambique com a possibilidade de serem registradas mais de mil mortes, afirmou o presidente do país africano, Filipe Nyusi.

Idai atingiu Moçambique no dia 15 de março. Anteriormente, foi relatado que 66 pessoas morreram e outras 141.000 foram afetadas pelas fortes chuvas que inundaram a região central e nordeste do país.

A Federação Internacional da Cruz Vermelha (IFRC) informou que o ciclone destruiu 90% da cidade portuária da Beira, a segunda maior cidade de Moçambique.

"Estamos a viver uma situação trágica", lamentou o presidente moçambicano Filipe Nyusi em coletiva de imprensa, onde ressaltou que "até o momento, formalmente há registro de 84 óbitos". O chefe de Estado ainda acrescentou que "tudo indica que poderemos registrar mais de mil óbitos".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала