Por que Washington decide abandonar histórico tratado de desarmamento com Moscou?

© AFP 2022 / Marinha dos EUALançamento de míssil Standard Missile (SM-3) pelo USS Decatur (DDG 73), um destróier da classe Arleigh Burke equipado com o sistema de combate Aegis e operando no Pacífico, em 22 de junho de 2007
Lançamento de míssil Standard Missile (SM-3) pelo USS Decatur (DDG 73), um destróier da classe Arleigh Burke equipado com o sistema de combate Aegis e operando no Pacífico, em 22 de junho de 2007 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os EUA planejam testar dois novos mísseis proibidos pelo Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), informou a mídia. Um analista militar russo indica as razões por que os EUA decidiram abandonar o histórico tratado e que medidas a Rússia poderá tomar em resposta à decisão americana.

No início desta semana, o Pentágono anunciou sua decisão de retomar a fabricação de componentes para mísseis proibidos pelo Tratado INF, do qual os EUA anunciaram a decisão de se retirar ainda este ano. 

A mídia, por sua vez, informou que se trata de dois sistemas de mísseis: o novo míssil de cruzeiro com um alcance de 1.000 quilômetros, enquanto o míssil balístico terá o alcance de 3.000 a 4.000 quilômetros.

O analista político Stanislav Byshok, da Organização Internacional de Monitoramento CIS-EMO, comentou esse assunto em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.

"Os EUA têm motivos para abandonar o Tratado INF, querem ter as mãos livres para uma maior modernização militar", declarou o analista, sublinhando que Washington usa a alegada violação do tratado pela Rússia como pretexto.

Prime Minister Dmitry Medvedev presents the 2017 Government performance report at the State Duma - Sputnik Brasil
Primeiro-ministro russo lamenta saída dos EUA do Tratado INF
"Não é uma motivação nova: sempre que alguns acordos internacionais são violados, é a parte que viola o acordo que se proclama apoiante mais coerente do documento", declarou Byshok. 

Segundo o analista, a Rússia será forçada a reagir às ações dos EUA.

"Acredito que a saída dos EUA do tratado vai levar a Rússia a modernizar mais ativamente seu armamento", explicando que, quando o país tão grande como os EUA começa a fortalecer seu arsenal militar, os outros países não podem deixar isso sem resposta.

Ao longo dos últimos anos, a Rússia e os EUA se têm acusado mutuamente da suposta violação dos termos do Tratado INF assinado em 1987 com a então União Soviética, que não tem data de expiração e proíbe as partes de terem mísseis balísticos terrestres ou mísseis de cruzeiro com alcance entre 500 e 5.500 quilômetros.

Desde 2 de fevereiro, os EUA suspenderam suas obrigações quanto ao INF. O presidente russo Vladimir Putin, por sua vez, assinou o decreto sobre a suspensão do Tratado INF pela Rússia em 4 de março de 2019.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала