Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Mãe de Marielle diz que resposta é incompleta: 'é preciso saber quem mandou matar'

© Foto / Mário Vasconcellos/Divulgação/ Câmara Municipal do Rio de JaneiroMarielle Franco, vereadora pelo PSOL, assassinada na noite do dia 14 de março
Marielle Franco, vereadora pelo PSOL, assassinada na noite do dia 14 de março - Sputnik Brasil
Nos siga no
A mãe de Marielle Franco, Marinete Silva, afirmou que sentiu alívio com a prisão dos suspeitos pelo assassinato de sua filha nesta terça-feira (12), mas destacou que a vitória é incompleta.

De acordo com ela, "já era sem tempo termos uma resposta", mas afirmou que a resposta para o crime "está incompleta". 

Marielle Franco, vereadora pelo PSOL, assassinada na noite do dia 14 de março de 2018 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Polícia prende suspeitos pelo homicídio de Marielle e do motorista Anderson
“A dois dias de completar um ano da morte da minha filha é um alívio saber que a polícia prendeu os suspeitos. Hoje, tenho certeza de que estamos no caminho certo. Já era tempo de termos uma resposta, mas ainda é preciso saber quem mandou matar. A resposta para esse crime está incompleta”, afirmou a mãe de Marielle.

“Não deixa de ser uma vitória, mas é incompleta. Foi um ano de muita dor, de muito sofrimento. Mas a gente ainda tem esperança de saber o que realmente aconteceu. É lógico que aumenta muito a nossa dor saber que a morte da sua filha foi planejada. Isso torna tudo muito mais doloroso. Nunca perdi a esperança. Agora, precisamos saber o motivo dessa barbaridade toda", acrescentou Marinete Silva. 

A irmã de Marielle, Anielle Franco, também se pronunciou sobre a prisão dos suspeitos. Em entrevista à rádio CBN, ela afirmou que espera que o país pare de passar "vergonha".

"Tomara que, a partir de hoje, a gente consiga respirar e o Brasil pare de passar essa vergonha sem responder durante um ano um crime contra uma mulher que foi democraticamente eleita", afirmou. 

A polícia do Rio de Janeiro prendeu nesta terça-feira (12) o policial militar reformado, Ronnie Lessa, e o ex-policial militar, Élcio Queiroz, como suspeitos pelo assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала