Migração ilegal na fronteira EUA-México não representa ameaça militar, diz general

© AP Photo / Daniel Ochoa de OlzaUm migrante em Tijuana, México pula a fronteira para entrar na cidade americana de San Diego, na Califórnia.
Um migrante em Tijuana, México pula a fronteira para entrar na cidade americana de San Diego, na Califórnia. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os migrantes que cruzam ilegalmente a fronteira entre os EUA e o México não representam uma ameaça militar aos Estados Unidos, de acordo com o comandante Terrence O' Shaughnessy, do Comando Norte (USNORTHCOM), em depoimento ao Congresso nesta terça-feira.

A posição do militar contrasta com as alegações do contrário proferidas pelo presidente do país, Donald Trump.

Trump declarou uma emergência nacional no início deste mês para liberar US$ 8 bilhões em verbas federais para construir um muro na fronteira sul, onde o governo alega que há uma crise humanitária.

O presidente norte-americano disse que a fronteira é necessária para impedir que criminosos e terroristas entrem nos Estados Unidos.

"Não é uma ameaça militar", disse o general O' Shaughnessy durante seu depoimento em frente ao Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Em evento nos EUA, Eduardo Bolsonaro entra na onda: 'Construam o muro'

"Eu acho que uma fronteira segura reduz as ameaças à pátria […] Eu vejo que qualquer barreira em vigor para proteger nossa nação tem algumas ramificações para nossa capacidade de nos defender contra uma ameaça militar também. Neste momento, não há um exército militar específico ou força ao sul que estamos tentando tomar medidas contrárias", acrescentou.

Na segunda-feira, um grupo de 58 ex-oficiais de segurança dos EUA de ambos os partidos políticos em uma declaração conjunta condenou a declaração de emergência, citando o fato de que não há ameaça terrorista e cruzamentos ilegais de fronteira estão perto de 40 anos.

A Câmara dos Representantes dos EUA está se preparando para votar uma resolução para encerrar a emergência nacional de Trump, que também está sendo contestada por processos movidos por grupos de direitos humanos e procuradores gerais de pelo menos 16 estados.

Trump declarou a emergência nacional depois que o Congresso se recusou a alocar os US$ 5,7 bilhões que ele pediu para o muro. A administração Trump pretende desviar o financiamento militar para instalar 234 milhas de barreiras de aço ao longo da fronteira de 1.950 milhas do país com o México.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала