Em pronunciamento, Maduro pergunta por que Guaidó não convocou novas eleições em 30 dias

© Sputnik / Carlos Herrera / Abrir o banco de imagensPresidente da Venezuela, Nicolás Maduro, discursa durante manifestação em Caracas
Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, discursa durante manifestação em Caracas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, fez um pronunciamento na tarde deste sábado (23) em Caracas, na Venezuela, para milhares de apoiadores do seu governo.

Maduro chamou o autoproclamado presidente, Juan Guaidó, de fantoche e palhaço e questionou os motivos que levaram Guaidó a não convocar eleições desde que se declarou presidente.

"Estamos esperando que o palhaço, fantoche convoque eleições em 30 dias. Vamos ver quem tem os votos e quem ganha as eleições no país", falou.

Maduro também perguntou quais são as medidas econômicas anunciadas por Guaidó.

"Se ele é o presidente, onde estão as medidas econômicas para ajudar o povo da Venezuela?", questionou.

O líder da oposição venezuelana, Juan Guaido, dá sinal de ok da lateral de um caminhão que transportava ajuda humanitária. - Sputnik Brasil
Guaidó diz que ajuda humanitária cruzou a fronteira do Brasil com a Venezuela
Maduro discursou em um púlpito com os dizeres "hands off Venezuela" (Tirem as mãos da Venezuela) e disse que continua no governo independente do que acontecer.

"Nunca fui e nem nunca serei parte de uma oligarquia e posso dizer pelo meu sentimento chavista mais autêntico para o povo da Venezuela: contem com Nicolás Maduro, que será leal nessa batalha pela nossa dignidade", afirmou.

"Não é tempo de traidores, não é um tempo de traições, é um tempo de lealdade com a pátria e aos ideais supremos da Venezuela", disse Maduro.

Maduro criticou a ajuda humanitária trazida pelos Estados Unidos, acusou os alimentos de estarem contaminados, estarem vencidos e não conseguirem abastecer nem 15 mil domicílios.

"O que tem por trás da ajuda humanitária é um plano de invasão da Venezuela", disse.

Durante o dia de hoje, a oposição tenta entrar com caminhões de ajuda humanitária pela fronteira com a Colômbia e pelo Brasil. Juan Guaidó atravessou a fronteira com a Colômbia para acompanhar a entrega das remessas de alimentos, remédios e itens de higiene pessoal.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала