Dias de Ortega estão 'contados' e a Nicarágua estará livre 'em breve', diz Bolton

© Sputnik / Alexey Vitvitsky / Abrir o banco de imagensJohn Bolton na OTAN.
John Bolton na OTAN. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O principal assessor de política externa do presidente estadunidense Donald Trump, John Bolton, parece estar decidido a retomar seu longo impasse com o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, sugerindo que a mudança de regime apoiada por Washington pode estar próxima.

"O regime de Ortega condenou três líderes agrícolas a 550 anos de prisão por seus papéis em protestos em 2018, nos quais as forças policiais de Ortega teriam matado 300 ativistas. Como disse o presidente Trump na segunda-feira, os dias de Ortega estão contados e o povo nicaraguense em breve estará livre", escreveu Bolton no Twitter na quarta-feira.

Os líderes dos protestos anti-Ortega receberam penas de prisão nesta semana, depois de terem sido implicados na morte de quatro policiais e de um professor durante um tiroteio em julho passado.

Presidente da Nicarágua Daniel Ortega - Sputnik Brasil
Presidente da Nicarágua chama ações de EUA e UE de 'crime de guerra'

A nação centro-americana foi abalada por distúrbios desde abril do ano passado, com manifestantes exigindo a renúncia do líder do partido sandinista Ortega, que é presidente desde 2007, e conquistou convincentemente outro mandato de cinco anos em 2016.

Os EUA apoiaram repetidas vezes a insurreição contra o governo de esquerda e, em novembro passado, Bolton fez uma palestra chamando pela "desintegração" do que ele chamou de "Troica da Tirania" - Venezuela, Nicarágua e Cuba -, dizendo que os Estados representavam um "berço sórdido do comunismo no hemisfério ocidental".

Na segunda-feira, Trump nomeou os mesmos três países, dizendo que seu "grande potencial" seria desbloqueado com o colapso do socialismo. Para agilizar o processo, o Congresso dos EUA impôs no ano passado medidas financeiras que dificultariam a obtenção de empréstimos internacionais para a Nicarágua, atingida economicamente, e punir as autoridades de Manágua.

A vingança

A história de Bolton com Ortega remonta aos anos 1980. Assim como agora, Ortega era o líder da Nicarágua, primeiro ao liderar a revolução em 1979 e quando foi eleito presidente em 1985.

A administração do ex-presidente republicano Ronald Reagan gastou recursos financeiros significativos apoiando os rebeldes de direita contrários ao governo durante a guerra civil, que durou quase toda a década.

Bolton, na época um especialista legal, ocupou vários cargos de alto escalão na Casa Branca de Reagan e foi mais do que uma testemunha de seus obscuros esquemas da CIA para contornar uma proibição do Congresso dirigida por democratas de ajudar os militantes da oposição.

Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
'Aliança EUA-Brasil está mais forte do que nunca', diz Bolton após encontro com Araújo

O atual assessor de Trump teria desempenhado um papel crucial em prejudicar tanto o escopo de uma investigação Irã-Contra quanto um inquérito sobre militantes que administram drogas e armas, que foram habilitados por Washington.

Depois que ele voltou à proeminência sob o governo de George W. Bush, em mais um capítulo de uma carreira inafundável, Bolton não conseguiu desalojar o venezuelano Hugo Chávez, os sandinistas, ou Fidel Castro de Cuba (em determinado momento acusou Havana de desenvolver armas biológicas, sem evidências sólidas).

Mas como um homem que, com a permissão de Donald Trump, agora parece estar dirigindo a política externa dos EUA em dezenas de questões fundamentais, Bolton tem mais recursos do que nunca para resolver seus ressentimentos ideológicos ao longo da vida.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала