Catástrofe viria com derretimento de geleiras, diz estudo

CC0 / / Brecha na geleira Pine Island, na Antártida (imagem referencial)
Brecha na geleira Pine Island, na Antártida (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Descoberta da NASA levanta questões sobre o que aconteceria caso as geleiras derretessem completamente.

Em uma recente descoberta, a NASA constatou que a geleira Thwaites, que é uma geleira da Antártica que possui uma área como a do Reino Unido, possui uma cavidade gigante com aproximadamente dois terços do tamanho de Manhattan.

A cavidade glacial foi descoberta pelos pesquisadores do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, os quais alertaram que a misteriosa cavidade é "perturbadora", tendo já contido aproximadamente 14 bilhões de toneladas de água doce congelada, e que ainda está aumentando a um ritmo "explosivo".

Segundo os cientistas, a descoberta é de fundamental importância, pois demonstra que o gelo da Antártica está derretendo não somente em áreas adjacentes aos oceanos, mas também sob os espessos lençóis de gelo.

Universo (imagem referencial) - Sputnik Brasil
'Maiores enigmas da astrofísica': cientistas encontram parte 'faltante' do Universo
Aumento do nível do mar

A imediata e mais óbvia preocupação em torno da descoberta é o fato de que um possível derretimento completo dessa geleira causaria um aumento global no nível do mar de aproximadamente 0,6 metros, o que seria uma grande ameaça para as cidades costeiras, inundando ilhas e provocando a erosão do solo, segundo o Instituto Smithsonian.

O Dr. Ted Scambos, cientista sênior no Centro Nacional de Dados sobre Neve e Gelo dos EUA, afirma que, se o aumento do nível do mar ocorrer antes do esperado graças a esse fenômeno, as autoridades devem estar prontas para os impactos.

Frotas de icebergs perigosos?

Além disso, a geleira Thwaites serve como uma importante "barreira", prevenindo que as geleiras próximas deslizem em direção ao mar. Entretanto, em caso de derretimento dessas geleiras, o nível do mar não aumentaria apenas 0,6 metros, mas sim mais de 3 metros, afetando áreas habitacionais e causando mais caos nos ecossistemas locais.

Enorme ilha de gelo se desprendeu da geleira Petermann, no noroeste da Groenlândia, em julho de 2012 - Sputnik Brasil
Cientistas se alarmam com chance de desprendimento de novo iceberg da Groenlândia (FOTO)
Anteriormente, a patrulha de gelo internacional da Guarda Costeira dos EUA alertou que um número incomum de icebergs estava à deriva sobre as rotas marítimas em áreas setentrionais, segundo o portal Engineering News.

Condições meteorológicas extremas

Um recente artigo publicado pelo Centro de Pesquisas Antárticas da Universidade Victoria e pela Universidade McGill alerta que os bilhões de toneladas de águas que fluem para os oceanos resultantes do derretimento que ocorre na Groenlândia e na Antártica podem resultar em condições meteorológicas globais mais extremas por todo o mundo, desestabilizando os climas regionais em um futuro muito próximo.

Perante essa situação, o estudo aponta que essas condições provocarão situações adversas, como períodos de calor ou frio intenso, de grande umidade e períodos de seca, além de uma grande variação na temperatura em diversos lugares em torno do mundo.

Desestabilização da Antártica

Alguns cientistas, incluindo Lucas Zoet, professor na Universidade de Wisconsin-Madison, receiam que o colapso da geleira Thwaites "poderia potencialmente desestabilizar toda a região oeste da Antártica".

Armas e armadura de vikings - Sputnik Brasil
Pesquisadores revelam por que vikings chamavam a Groenlândia de 'Terra Verde'
"Essa é uma importante via pela qual o gelo é descarregado do Oeste da Antártica para o oceano", explicou Zoet ao USA Today, ressaltando que "se a cavidade crescer ou se expandir, essa é uma das maneiras como ela pode se separar dessa espécie de crista sobre a qual a geleira Thwaites está apoiada".

O pior ainda está por vir?

Segundo o Dr. Scambos, a descoberta da grande cavidade na geleira Thwaites não é um bom presságio para o nosso futuro.

"Com o tempo, perderemos grandes áreas da Antártica, grandes áreas na Groenlândia. O importante é a velocidade a que isso acontecerá", conclui Scambos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала