Merkel defende diplomacia para lidar com Irã; EUA resistem

© AP Photo / Matthias Schrader A chanceler alemã Angela Merkel e o vice-presidente dos EUA Mike Pence na Conferência de Segurança de Munique.
A chanceler alemã Angela Merkel e o vice-presidente dos EUA Mike Pence na Conferência de Segurança de Munique. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A chanceler alemã, Angela Merkel, recebeu aplausos neste sábado (16) por sua vigorosa defesa de uma abordagem multilateral aos assuntos globais e pelo apoio à decisão da Europa de continuar no acordo nuclear com o Irã.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, não estava entre os impressionados e dobrou as críticas estadunidenses à Europa.

Os comentários de Merkel na Conferência de Segurança de Munique, uma reunião anual de líderes mundiais e altos funcionários de defesa e política externa, aconteceram após dias de desgaste entre os EUA e a Europa por conta do Irã.

Merkel disse ao grupo — que incluiu a maior delegação dos EUA que já participou do evento, com direito à presença de dezenas de membros do Congresso, Ivanka Trump, Mike Pence e outros — que compartilhava as preocupações de Washington com a tentativa do Irã de expandir sua influência.

A chanceler disse que a decisão dos EUA de sair do acordo nuclear com o Irã a deixa preocupada, mas ressaltou que o acordo é um importante canal de diálogo com Teerã, enfatizando a necessidade da diplomacia internacional.

"Eu vejo o programa de mísseis balísticos, vejo o Irã no Iêmen e, acima de tudo, vejo o Irã na Síria", disse ela. "A única questão que se coloca entre nós sobre esta questão é: ajudamos nossa causa comum, nosso objetivo comum de conter o desenvolvimento prejudicial ou difícil do Irã, retirando-nos do único acordo remanescente? Ou ajudamos mais ao manter a pequena âncora que temos para talvez conseguir fazer pressão em outras áreas?"

O navio quebra-gelo finlandês MSV Nordica navega através do gelo flutuando no mar de Chukchi, na costa do Alasca. - Sputnik Brasil
Lavrov: 'Rússia quer entender o que a OTAN busca no Ártico'
Alemanha, Grã-Bretanha, França, China, Rússia e União Europeia tentam manter vivo o acordo de 2015 com o Irã desde que o presidente dos EUA, Donald Trump, se retirou unilateralmente no ano passado.

O acordo oferece alívio às sanções impostas ao Irã em troca de limites ao seu programa nuclear. A Agência Internacional de Energia Atômica disse que, até agora, Teerã está cumprindo ao acordo.

Mas os EUA argumentam que o acordo apenas adia quando o Irã poderá construir uma bomba nuclear. Falando depois de Merkel, Pence pressionou os europeus a porem fim ao seu envolvimento no acordo nuclear, chamando o Irã de "o principal estado patrocinador do terrorismo no mundo".

"Chegou a hora de nossos parceiros europeus pararem de minar as sanções dos EUA contra esse regime revolucionário assassino", disse Pence. "Chegou a hora de nossos parceiros europeus estarem conosco e com o povo iraniano, nossos aliados e amigos na região. Chegou a hora de nossos parceiros europeus se retirarem do acordo nuclear com o Irã."

O discurso de Merkel foi calorosamente recebido, enquanto o de Pence foi recebido com aplausos educados.

"Este foi um grande discurso de Merkel", disse Daniela Schwarzer, diretora do Conselho de Relações Exteriores da Alemanha, no Twitter. "Minutos de aplausos e aplausos de pé por um compromisso poderoso de pegar as peças de uma ordem [mundial] quebrada e trabalhar em uma ordem europeia e [internacional] que crie situações vantajosas para todos."

O ex-vice-presidente dos EUA, Joe Biden, que estava no cargo quando o acordo nuclear com o Irã foi negociado, fez um gesto para agradecer Merkel e defendeu o pacto com o Irã como um "acordo significativo".

Ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif - Sputnik Brasil
Irã e União Europeia chegam a acordo para driblar sanções dos EUA
Biden disse que muitos estadunidenses não concordam com a abordagem "América primeiro" da administração Trump.

"Você ouviu muito hoje sobre liderança, mas na minha experiência, a liderança só existe se alguém e outros estão com você", disse ele após o discurso de Pence. "Liderança na ausência de pessoas que estão com você não é liderança.".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала