Qual seria o único empecilho para investimentos da Rússia na Venezuela?

© Sputnik / Aleksei Nikolsky / Abrir o banco de imagensPresidente russo, Vladimir Putin, com seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro
Presidente russo, Vladimir Putin, com seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O vice-presidente do Conselho da Federação da Rússia (câmara alta do parlamento russo), Ilyas Umakhanov, declarou à Sputnik que a única possível ameaça aos investimentos russos na Venezuela é uma intervenção dos EUA neste país sul-americano.

"Nada ameaça nossos investimentos na Venezuela, nossos investimentos só são ameaçados caso os americanos intervenham na Venezuela, mas, evidentemente, há riscos e ameaças a esse cenário", disse o senador, acrescentando que, "tudo o que está relacionado com os métodos de sanções da política externa dos EUA e de seus seguidores não causa mais do que irritação, espanto e decepção".

Para o parlamentar, o maior problema com os EUA é a sua total imprevisibilidade, "tanto do país quanto do presidente, e nós colhemos os frutos".

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, havia dito anteriormente que enviou uma mensagem à Rússia e à China, avisando-as de que não teriam vantagens com o atual governo instável de Nicolás Maduro, mas que se beneficiariam com a mudança do modelo econômico na Venezuela.

Soldados do exército da Venezuela - Sputnik Brasil
Ministro da Defesa diz que Venezuela não aceitará chantagem dos EUA com sanções
Entretanto, o porta-voz do presidente russo, Dmitri Peskov, declarou à imprensa no dia 1º de fevereiro que o Kremlin ainda não havia recebido a mensagem.

Umakhanov confirmou que os representantes do Parlamento venezuelano não contataram e não enviaram nenhuma mensagem à Rússia.

O reeleito presidente venezuelano Nicolás Maduro, classifica a autoproclamação de Guaidó como tentativa de golpe de Estado, culpando Washington de orquestrá-la. Os EUA e várias outras nações apoiam o chefe interino, ao passo que a Rússia, Bolívia, China, Cuba, Irã, Turquia e outros países, reafirmaram seu apoio ao atual governo venezuelano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала