Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Lama da barragem da Vale deve chegar ao Rio São Francisco

© AP Photo / Bruno Correia/Nitro via APVista aérea mostra ponte desmoronada causada por inundações provocadas pelo colapso de uma barragem perto de Brumadinho, Brasil, 25 de janeiro de 2019
Vista aérea mostra ponte desmoronada causada por inundações provocadas pelo colapso de uma barragem perto de Brumadinho, Brasil, 25 de janeiro de 2019 - Sputnik Brasil
Nos siga no
Segundo relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para o direito à água e ao saneamento, Leo Heller, a lama de rejeitos que se espalhou após o rompimento da barragem da Vale deve chegar ao Rio São Francisco, informou ONU News, citada pela Agência Brasil.

As consequências ambientais do incidente ainda não podem ser conhecidas, mas o especialista adiantou que um dos maiores rios do Brasil deverá ser atingido, pois o rio Paraopeba é uma de suas afluentes.

Equipe de resgate trabalha em uma barragem de rejeitos de propriedade da mineradora brasileira Vale SA que estourou em Brumadinho (MG). - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Engenheiros responsáveis pela segurança de barragem em Brumadinho são presos
O Serviço Geológico do Brasil (CPRM), inclusive, estimou as datas, entre os dias 15 e 20 de fevereiro, para a lama atingir o rio São Francisco.

O especialista disse, entretanto, não ser possível prever a proporção do fenômeno, pois o Rio São Francisco tem um caudal volumoso e uma maior capacidade de diluição. 

Para Heller, as ações dos próximos dias serão cruciais para interromper a contaminação dos rios da região de Brumadinho (MG).

"Existem algumas medidas que os governos estão cogitando. Uma delas é utilizar algumas represas que eram utilizadas como hidrelétricas para conter parte dos efeitos. Essas represas não terão capacidade de conter toda a lama, mas elas podem atenuar. Isso me parece importante, mas, sobretudo, monitorar. Fazer monitoramento sistemático sobre os efeitos na qualidade da água e sobre os riscos para a população que consumirá essa água", disse o especialista, citado pela Agência Brasil.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала