Moscou: Daesh pode estar preparando provocação perto da fronteira meridional russa

© AP Photo / Site militarTerroristas do Daesh em Tel Abyad, nordeste da Síria (foto de arquivo)
Terroristas do Daesh em Tel Abyad, nordeste da Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O vice-ministro do Interior russo, Igor Zubov, declarou que a transferência de combatentes do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) do Paquistão ao Tajiquistão pode estar ligada à preparação de uma provocação contra a Rússia.

Combatentes do Daesh estão sendo transferidos em aviões não identificados do território do Paquistão para a fronteira do Tajiquistão, perto da fronteira meridional russa, informou o vice-ministro do Interior russo, Igor Zubov.

Segundo Zubov, poderia se tratar da preparação de uma provocação massiva que pode afetar a Rússia.

"Os combatentes do Daesh estão sendo transferidos em massa em aviões não identificados do território do Paquistão para a fronteira do Tajiquistão. Ao que parece, estão sendo planejadas provocações massivas com a futura expulsão de grande quantidade de refugiados e com todas as consequências para a Rússia", declarou Zubov.

Terroristas do Daesh em Tel Abyad, nordeste da Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Cientista iraquiano revela como 'ajudou' Daesh a fabricar armas químicas
Anteriormente, o diretor do Centro Antiterrorista da Comunidade de Estados Independentes, Andrei Novikov, declarou que terroristas do Daesh foram transferidos ao Afeganistão e Paquistão depois de terem sido derrotados na Síria e no Iraque.

No ano passado, a mídia estatal síria informou que helicópteros da coalizão internacional liderada pelos EUA evacuaram os líderes do Daesh de diferentes áreas da província de Deir ez-Zor. A coalização, por sua vez, negou todas as acusações.

Os EUA e aliados realizam, desde 2014, ataques aéreos no Iraque e na Síria contra o Daesh. As operações na Síria são realizadas sem a autorização do governo do país. A Rússia deu início à missão antiterrorista na Síria em setembro de 2015 para dar suporte ao governo de seu aliado, o presidente Bashar Assad, e ajudou o governo sírio a retomar boa parte dos territórios que estavam sob o comando dos rebeldes.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала