Ministério da Defesa venezuelano acusa de traição adido militar que reconhece Guaidó

© REUTERS / Miraflores PalaceNicolás Maduro, presidente da Venezuela
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Ministério da Defesa venezuelano qualificou como "um ato de traição e covardia" a declaração do adido militar na embaixada venezuelana em Washington, coronel José Luis Silva, que não reconhece Nicolás Maduro como presidente da Venezuela.

"Subordinar-se aos interesses internacionais é um ato de traição e covardia com a Pátria herdada pelo nosso Libertador Simón Bolívar, por isso, repudiamos as declarações do coronel José Luis Silva Silva, que desempenhava o cargo de adido militar nos EUA", publicou a entidade na sua conta no Twitter.

Militantes da oposição durante manifestação contra o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, em Caracas, Venezuela - Sputnik Brasil
EUA descartam planos de fechar embaixada na Venezuela
Em 26 de janeiro, Silva declarou em entrevista ao diário El Nuevo Herald que não reconhece Nicolás Maduro como presidente da Venezuela e expressou seu apoio ao presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, que se proclamou presidente encarregado do país e apelou aos outros para seguirem seu exemplo.

Em 23 de janeiro, o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino da Venezuela. Os EUA e uma série de outros países, inclusive o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela. O atual líder venezuelano, Nicolás Maduro, afirma ser o chefe de Estado constitucional e apelidou Guiadó de "marionete dos EUA".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала