- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Guaidó viajou em segredo a EUA, Colômbia e Brasil antes da autoproclamação, diz mídia

© REUTERS / Manaure QuinteroPresidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó
Presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O autoproclamado "presidente interino" da Venezuela, Juan Guaidó, viajou em dezembro aos EUA, Colômbia e Brasil para coordenar as sua estratégia antigovernamental, informou a agência AP, citando aliados do opositor e funcionários diplomáticos dos países latino-americanos, EUA e Canadá.

Segundo o ex-prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, exilado na Espanha, nos meados de dezembro, Guaidó viajou em segredo a Washington, Bogotá e Brasília para informar altos funcionários locais de como a oposição venezuelana desencadearia protestos, fazendo-os coincidir com a posse do presidente Nicolás Maduro para o novo mandato que teve lugar em 10 de janeiro.

Em Bogotá Guaidó afirmou que se autoproclamaria presidente venezuelano em 23 de janeiro, segundo a fonte da AP. O autoproclamado presidente saiu alegadamente da Venezuela por via terrestre para evitar o controle migratório.

Presidente de Venezuela, Nicolás Maduro - Sputnik Brasil
Maduro aceitaria mediação internacional para solucionar impasse com oposição
A mesma fonte informou que as conversas sobre o movimento antigovernamental se realizaram através de mensagens de texto, enquanto um funcionário dos EUA disse à agência que recorreu a intermediários para contatar o mentor político de Guaidó, o opositor venezuelano Leopoldo López, que se encontra em prisão domiciliar.

Em 23 de janeiro, o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se declarou presidente interino do país durante os protestos contra Maduro realizados nas ruas de Caracas. O atual líder venezuelano, Nicolás Maduro, afirma ser o chefe de Estado constitucional e chamou Guiadó de "marionete dos EUA".

A autoproclamação de Guaidó recebeu apoio dos EUA, União Europeia e de uma série de países da América Latina, inclusive do Brasil. Nicolás Maduro é apoiado pela Rússia, Cuba, México, Bolívia, Nicarágua, Turquia, Irã e China.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала