Embaixada da Venezuela em Washington suspende serviços consulares

© Presidência da VenezuelaPresidente da Venezuela durante a manifestação de encerramento da campanha por nova constituinte em Caracas
Presidente da Venezuela durante a manifestação de encerramento da campanha por nova constituinte em Caracas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, cortou relações diplomáticas com os Estados Unidos nesta quarta-feira, acusando Washington de tentar provocar um golpe de Estado em Caracas. Os EUA, por sua vez, exigiram a renúncia de Maduro e declararam apoio ao líder da oposição, Juan Guaidó.

A embaixada venezuelana nos Estados Unidos suspendeu os serviços consulares devido à ruptura das relações diplomáticas entre os países.

Soldados do Exército Brasileiro - Sputnik Brasil
Quão desagradável seria a 'aventura' brasileira em uma intervenção militar na Venezuela?
Os Estados Unidos têm apoiado as forças da oposição na Venezuela, consideram a eleição presidencial, realizada no ano passado, como ilegítima, e prometeram seu apoio ao líder da oposição, Juan Guaidó.

Nesta quarta-feira, dia 23 de janeiro, Washington foi um dos primeiros a reconhecer Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela. Alguns países seguiram seu exemplo, tais como: Canadá, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Geórgia, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai e Peru.

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e a chefe de política externa da UE, Federica Mogherini, também manifestaram seu apoio à presidência do líder da oposição.

Maduro disse na quarta-feira que Washington tentou realizar um golpe de Estado na Venezuela e anunciou sua decisão de cortar relações diplomáticas com os Estados Unidos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала