Por que é vital para a Rússia se proteger de um ataque a partir do Ártico?

© Foto / Ministério da Defesa da RússiaSoldado russo na ilha de Kotelny no Ártico russo
Soldado russo na ilha de Kotelny no Ártico russo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Defesa russa implantou no Ártico o complexo de radares móveis Resonans-N com elementos de inteligência artificial. O sistema é capaz de detectar mísseis de cruzeiro a uma distância de 1.100 km. É vital para a Rússia controlar essa área, a partir de onde um inimigo em potencial pode atacar os Urais, a Sibéria e a Rússia Central.

Segundo o jornal russo Izvestia, o radar Resonans-N entrou em serviço da Frota do Norte no final do ano passado e possui tecnologias especialmente importantes para a proteção da região ártica.

Este sistema detecta facilmente mísseis balísticos e de cruzeiro, aeronaves hipersônicas, minidrones, helicópteros e aviões com tecnologia stealth. Durante o desenvolvimento do Resonans-N, foram implementadas as tecnologias mais recentes de inteligência artificial, com capacidade de autoaprendizagem, para o processamento matemático de grandes conjuntos de dados.

Lançamento do foguete transportador Soyuz-2.1 do cosmódromo Vostochny, localizado no Extremo Oriente russo - Sputnik Brasil
Rússia lançará primeiro satélite de monitoramento climático do Ártico
Seu localizador pode trocar dados automaticamente com outros radares. Este equipamento permite detectar alvos aéreos em um raio de 1.100 km e enviar informações sobre a localização de unidades de defesa aérea que se encontram a uma distância de até 600 km.

Vale destacar que o novo complexo deve melhorar as capacidades do grupo de defesa aérea na região do Ártico, onde após o colapso da URSS muitas zonas deixaram de ter cobertura. Para resolver o problema, em 2015 foi formado o 45º Exército da Força Aérea e a Defesa Aérea da Frota do Norte.

Para os Estados Unidos, o caminho mais curto para atingir as fronteiras russas é atravessar o Ártico, por isso é necessária uma proteção confiável contra a aviação estratégica e os mísseis de cruzeiro nessa região, disse o ex-chefe das Forças Mísseis Antiaéreos, Aleksandr Gorkov ao Izvestia.

"O comando do Norte, que está sendo implementado na região do Ártico, executa uma ampla gama de tarefas estratégicas: em primeiro lugar, a proteção das forças e meios da Frota do Norte, que efetuam missões particularmente importantes. Essa poderosa frota nuclear russa precisa de cobertura segura para suas bases e áreas de deslocamento, e é também importante garantir a segurança das áreas industriais da Sibéria, dos Urais e da Rússia Central", resume Gorkov.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала