Esposa do vice-presidente dos EUA volta a trabalhar em escola que não emprega gays

© REUTERS / Carlo AllegriMike Pence, vice-presidente dos EUA, durante campanha eleitoral de 2016, em Nova Hampshire, 7/11/2016
Mike Pence, vice-presidente dos EUA, durante campanha eleitoral de 2016, em Nova Hampshire, 7/11/2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em meio a controvérsia pela atuação profissional de sua esposa, o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, afirmou que as críticas à educação cristã na América deveriam parar.

Pence está sob críticas após sua esposa voltar a trabalhar em uma escola que diz ter o direito de recusar a empregar professores gays e lésbicas ou matricular crianças de pais gays ou lésbicas.

Karen Pence está trabalhando na Immanuel Christian School, no norte da Virgínia.

Presidente dos EUA Donald Trump durante a cúpula da OTAN em Bruxelas. - Sputnik Brasil
Trump ameaça declarar emergência nacional para construir muro na fronteira com México
A Human Rights Campaign, o maior grupo de defesa dos direitos dos homossexuais do país, criticou o episódio e disse que ele mostra como o trabalho da família Pence beneficia apenas alguns. 

Mas Pence afirmou na rede católica de notícias EWTN em uma entrevista que a América tem uma rica tradição de educação religiosa e que "ver grandes organizações de notícias atacando a educação cristã é profundamente ofensivo para nós".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала