Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

MRE russo: EUA tentam esconder informação real sobre quem patrocina Daesh no Afeganistão

© AFP 2021 / Wakil KOHSARBandeira dos EUA na Base Aérea de Bagram, Afeganistão
Bandeira dos EUA na Base Aérea de Bagram, Afeganistão - Sputnik Brasil
Nos siga no
Nesta quarta-feira (16), o Ministério das Relações Exteriores russo afirmou que os EUA procuram acusar a Rússia de assistência ao grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países), inclusive de transferência ao Afeganistão de terroristas da Síria e do Iraque.

Para essa finalidade, os serviços secretos norte-americanos estão preparando "farsas", segundo a chancelaria russa.

Tropas dos EUA e do Afeganistão na cidade de Yawez (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Guerra dos EUA no Afeganistão está perdida, conclui National Interest
"Ultimamente têm surgido informações sobre o preparo pelos serviços secretos dos EUA de uma séria de 'farsas' na mídia do Afeganistão e de vários países ocidentais, que visam descreditar a política da Rússia na questão afegã. Em particular, está planejado acusar o nosso país de prestar assistência ao Daesh, inclusive da transferência ao Afeganistão de terroristas desse grupo a partir da Síria e do Iraque", lê-se no comentário do ministério russo.

"Trata-se da recente declaração do movimento Talibã sobre uma operação dos serviços secretos dos EUA para capturar uma das prisões do movimento na província afegã de Badgis, em que estavam presos terroristas do Daesh, tomados como prisioneiros no norte do Afeganistão em agosto de 2018. Todas essas pessoas foram transportadas pelos elementos de operações especiais com destino desconhecido", comunicou o ministério.

"Tal interesse pelos terroristas do Daesh faz pensar que os EUA, ao empreenderem tal ato, teriam tentado impedir o vazamento de informações que os terroristas mencionados poderiam comunicar sobre quem os patrocina realmente", ressaltou a chancelaria.

O Ministério das Relações Exteriores russo apelou a Washington para deixar de tecer intrigas em torno do Afeganistão e passar a participar da reconciliação pacífica no país.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала