Pequim rotula como 'suposições absurdas' relatório dos EUA sobre Forças Armadas chinesas

© REUTERS / China DailySoldados do Exército Popular de Libertação da China (PLA) na parada militar comemorativa do 90º aniversário do exército chinês, julho de 2017
Soldados do Exército Popular de Libertação da China (PLA) na parada militar comemorativa do 90º aniversário do exército chinês, julho de 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A China se manifesta contra o relatório do Pentágono cheio de suposições absurdas sobre o desenvolvimento militar chinês e espera que Washington consiga analisar de forma objetiva e racional a modernização das Forças Armadas da China, afirmou nesta quarta-feira (16) em um briefing a representante oficial da chancelaria chinesa, Hua Chunying.

A diplomata comentou o recém-divulgado relatório do Pentágono sobre o desenvolvimento militar da China, em que os militares americanos expressaram suas preocupações em conexão com o reforço ativo do potencial militar da China e com a modernização do seu exército, além estarem preocupados por o poderio militar de Pequim poder permitir controlar os outros, em particular, Taiwan.

O destróier USS James Williams da Marinha dos EUA (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Vice-almirante dos EUA apela a criar navios não tripulados para conter Rússia e China
"O relatório respetivo da parte norte-americana demonstra falta de consideração pelos fatos, ele está cheio de ideias da época da Guerra Fria e de 'jogo de soma zero', contém suposições infundadas em relação à via de desenvolvimento da China, das suas metas estratégicas e reforço das capacidades de defesa. Várias conclusões do relatório são bastante absurdas, nós nos manifestamos firmemente contra elas", afirmou Hua Chunying.

De acordo com ela, Pequim apoia a ideia que "um desenvolvimento das relações sino-americanas saudável e estável beneficia os dois países, bem como todo o mundo". Ela disse esperar que "a parte norte-americana possa encarar o desenvolvimento militar da China de forma racional e objetiva".

A diplomata frisou que a China continua comprometida com a via pacífica de desenvolvimento, desenvolvendo de forma autônoma e independente as Forças Armadas para garantir sua própria segurança, bem como a soberania e interesses do desenvolvimento, além de defender da melhor forma a paz e estabilidade na região e em todo o mundo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала