Degelo na Antártica aumentou 6 vezes nas últimas 4 décadas, alertam cientistas

© AP Photo / John WellerPinguim-imperador
Pinguim-imperador - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A camada de gelo da Antártica está diminuindo a um ritmo de 252 bilhões de toneladas por ano, o que representa um aumento de seis vezes na taxa desde a década de 80.

Segundo o relatório da Academia Nacional de Ciências dos EUA (NAS), essa taxa acelerada provoca a elevação dos níveis globais do oceano em 14 milímetros desde 1979.

"A perda total de massa aumentou de 40 ± 9 Gt/ano [bilhões de toneladas por ano] em 1979-1990 para 50 ± 14 Gt/ano em 1989-2000, 166 ± 18 Gt/ano em 1999-2009, e 252 ± 26 Gt/ano em 2009-2017", informou o estudo na segunda-feira (14).

"A contribuição para a elevação do nível do mar da Antártica foi de 3,6 ± 0,5 mm [milímetros] por década, com uma acumulação de 14,0 ± 2,0 mm desde 1979."

Antártida - Sputnik Brasil
NASA: degelo da Antártica terá consequências desastrosas para o planeta inteiro (FOTO)
O relatório afirma que o aumento do fluxo das geleiras em áreas próximas a águas profundas circumpolares quentes e subsuperficiais, inclusive no leste da Antártica, ocasiona a perda de massa, além de revelar que essa tendência deverá persistir nas próximas décadas devido aos ventos que empurram mais água quente para as geleiras do continente.

O nível do mar poderia subir quase um metro até o ano de 2100, se não houver um declínio acentuado na emissão global de dióxido de carbono e outros gases do efeito estufa, sugeriram cientistas, que já haviam alertado sobre as consequências terríveis que o mundo poderá enfrentar se a mudança climática persistir.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала