Bloomberg: Maduro será presidente enquanto 'moribunda economia da Venezuela permitir'

© REUTERS / Carlos Garcia RawlinsPresidente venezuelano Nicolas Maduro discursa em uma sessão da Assembleia Nacional Constituinte
Presidente venezuelano Nicolas Maduro discursa em uma sessão da Assembleia Nacional Constituinte - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A governança de Nicolás Maduro se tornou um teste de firmeza para a Venezuela, escreve a agência Bloomberg, adicionando que Maduro está começando o segundo mandato em meio a uma catástrofe econômica, e ele que vai durar no poder enquanto a economia do país permitir.

Nicolás Maduro está iniciando o segundo mandato em meio a uma catástrofe econômica, criada por ele mesmo, de acordo com a Bloomberg. Oficialmente, serão seis anos de mandato, mas, de fato, ele permanecerá no poder até a moribunda economia venezuelana não resistir mais.

O sucessor de 56 anos de Hugo Chávez está enfrentando inúmeras ameaças: protestos, tentativa de assassinato, tentativa da oposição de realizar impeachment e sanções dos EUA.

O presidente chinês Xi Jinping com o presidente da Venezuela Nicolás Maduro durante a visita do último à China - Sputnik Brasil
Isolamento regional fará Maduro aprofundar relações com Rússia e China, diz professor
De acordo com a edição, Maduro ignora as regras do mercado e internacionais. Depois das últimas eleições presidenciais, que não foram reconhecidas em mais de 60 países, agora um isolamento o ameaça.

Enquanto índices econômicos caem, a sobrevivência de Maduro no poder depende da resistência da Venezuela.

Durante o seu segundo mandato, Nicolás Maduro precisará alimentar a nação faminta, ativar bruscamente a extração de petróleo pela empresa nacional Petróleos da Venezuela, bem como se defender dos credores que ameaçam prender os ativos estrangeiros de Caracas.

O líder venezuelano reforçou as relações com Rússia, China e Turquia, mas recebe deles apenas apoio limitado, escreve a agência de notícias.

Porém, Maduro não demonstra sinais de dúvidas, assinalou a Bloomberg, citando as suas palavras de que "Venezuela não deixará o curso escolhido" quaisquer que sejam os obstáculos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала