Conselho de Segurança da ONU discute eleições no Congo

© AP PhotoPartidários do presidenciável Martin Fayulu fogem da polícia no Congo.
Partidários do presidenciável Martin Fayulu fogem da polícia no Congo. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniu às portas fechadas nesta sexta-feira (4) para discutir as eleições na República Democrática do Congo, enquanto as potências mundiais aguardam os resultados das urnas.

A França solicitou a reunião, pois a União Européia e a União Africana pediram às autoridades do Congo que respeitem o resultado da votação de 30 de dezembro.

Os resultados eleitorais foram inicialmente programados para serem divulgados no domingo, mas podem ser adiados.

Durante uma reunião de quase duas horas, o conselho não conseguiu chegar a um acordo sobre as eleições. Vários países, incluindo nações africanas, disseram que essa medida foi prematura, disseram diplomatas.

O embaixador francês François Delattre disse na sequência da reunião que "a consolidação dos resultados deve continuar com transparência" e que os resultados a serem anunciados "devem ser consistentes com o voto do povo congolês".

Policiais congoleses detêm manifestantes que pediam a saída do presidente do país, Joseph Kabila, em Kinshasa (arquivo) - Sputnik Brasil
Congo: policial e civil morrem em briga por suposta fraude eleitoral
O conselho realizará uma reunião pública na terça-feira para discutir novamente as eleições.

As potências ocidentais esperam que o maior país da África Subsaariana tenha a primeira mudança pacífica da presidência desde a independência em 1960.

O Presidente Joseph Kabila, no poder desde 2001, não participou das eleições. Um total de 21 candidatos, incluindo o sucessor escolhido por Kabila, o ex-ministro do Interior Emmanuel Ramazani Shadary, estão disputando a presidência.

A influente Igreja Católica congolesa empregou milhares de observadores eleitorais e declarou na quinta-feira que sabia quem havia ganhado a partir de seu próprio monitoramento.

A Conferência Episcopal Nacional do Congo (CENCO) exortou as autoridades eleitorais a publicar resultados "de acordo com a verdade e a justiça".

O embaixador sul-africano Jerry Matjila disse a repórteres antes do encontro que o mundo deve "ser muito, muito paciente" enquanto a contagem de votos está em andamento.

Matjila, cujo país é um dos principais membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral, que inclui o Congo, pareceu minimizar a declaração da CENCO.

"A ONG pode dizer o que quiser", mas a África do Sul "vai esperar… que os responsáveis ​​pelas eleições anunciem" o resultado, disse ele.

Líderes africanos assinaram o acordo de livre comércio, o maior desde a criação da Organização Mundial do Comércio, 21 de março de 2018 - Sputnik Brasil
África está prestes a se tornar a maior zona de livre comércio do mundo
Na quinta-feira, os Estados Unidos pediram à República Democrática do Congo para divulgar resultados "precisos" e alertaram sobre sanções contra os infratores eleitorais.

Os membros do conselho ouviram um relatório de Leila Zerrougui, que lidera a missão da ONU do Congo, durante a reunião a portas fechadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала