Grupo de Lima não reconhece novo mandato de Nicolás Maduro

© Presidência da VenezuelaPresidente da Venezuela, Nicolás Maduro, tira fotografias com manifestantes durante o encerramento da campanha por uma nova constituinte em Caracas
Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, tira fotografias com manifestantes durante o encerramento da campanha por uma nova constituinte em Caracas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Grupo Lima não reconhece a legitimidade do novo mandato presidencial de Nicolás Maduro na Venezuela, que começará no dia 10 deste mês, e pediu ao presidente para que não assuma o cargo e que abdique do poder até a realização de novas eleições.

"O Grupo Lima não reconhece a legitimidade do novo mandato presidencial de Nicolás Maduro na Venezuela. Nicolás Maduro foi instado a não assumir a presidência e transferir o poder para a Assembléia Nacional até que novas eleições sejam realizadas", disse o ministro das Relações Exteriores do Peru, Néstor Popolizio, aos jornalistas.

Cerimônia de diplomação do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Bolsonaro expressa preocupação com manobras militares russas na Venezuela (VÍDEO)
O Grupo de Lima foi fundado em 2017, por iniciativa das autoridades peruanas. O grupo busca pressionar a Venezuela para o "restabelecimento da democracia" no país. Argentina, Brasil, Canadá, Colômbia, Costa Rica, Chile, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Panamá e Paraguai e Peru integram o bloco.

O novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, participou nesta sexta-feira da reunião do Grupo de Lima, na capital peruana. Foi a primeira missão internacional do chanceler do governo do presidente Jair Bolsonaro e reflete as promessas de campanha do ex-militar.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала