Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Jornal militar chinês alerta tropas: é preciso preparar soldados para guerra

© REUTERS / Damir SagoljSoldados do Exército da Libertação Popular da China
Soldados do Exército da Libertação Popular da China - Sputnik Brasil
Nos siga no
As tropas chinesas devem acelerar o treinamento, adiantar tecnologia de ponta e, acima de tudo, se preparar para a guerra, disse o Diário do Exército Popular de Libertação (ELP) - um jornal das Forças Armadas - em uma mensagem de Ano Novo.

"Preparação de soldados e preparativos de guerra" serão as principais prioridades para as Forças Armadas em 2019, disse o Exército oficial às tropas. Ele instou os leitores que "em nenhum momento deveríamos permitir qualquer folga nessas áreas".

Xi Jinping, líder chinês, durante 40º aniversário da Mensagem aos Compatriotas de Taiwan, Pequim, 2 de janeiro de 2019 - Sputnik Brasil
China não descarta uso de força em caso de interferência externa na questão de Taiwan

"Devemos estar bem preparados para todas as direções da luta militar e melhorar de forma abrangente a resposta de combate das tropas em situações de emergência […] para garantir que possamos enfrentar o desafio e vencer quando houver uma situação", informou a mensagem.

O Diário do ELP também prometeu "reformar o Exército através da ciência e tecnologia", junto com o fortalecimento dos laços com o Partido Comunista Chinês.

O editorial foi publicado alguns dias antes de o presidente da China, Xi Jinping, ter chamado para forjar a reunificação com Taiwan. Ao dizer que "salvaguardaria os interesses e bem-estar" dos que vivem na ilha, Xi notou que Pequim "reserva a opção de tomar todas as medidas necessárias" contra os estrangeiros que dificultam o processo.

Taiwan é uma das questões que adicionam combustível a uma briga entre os EUA e a China desde que o presidente Donald Trump prometeu apoio militar à ilha. A China denunciou o movimento, advertindo os EUA contra a intromissão em seus assuntos internos. Deixando de lado Taiwan, o mar do Sul da China é outro lugar que viu crescentes tensões entre os EUA e a China.

No ano passado, Xi também pediu que as tropas "concentrem os preparativos" para um conflito militar. "Temos que intensificar exercícios de prontidão de combate, exercícios conjuntos e exercícios de confronto para melhorar as capacidades dos militares e a preparação para a guerra".

Documento de retirada dos EUA do Acordo de Associação Transpacífico (TPP) sendo assinado pelo presidente Donald Trump, 23 de janeiro de 2017 - Sputnik Brasil
Analista: saída dos EUA da Parceria Transpacífico permite à China dominar no Pacífico

Os estrategistas de Washington indicam abertamente que Pequim é um oponente militar, mesmo alegando que pode ultrapassar os EUA em algumas áreas. O Pentágono, por exemplo, alertou repetidamente que os militares chineses poderiam deixar os EUA para trás na implantação do poder aéreo e marítimo, bem como no desenvolvimento de futuros sistemas de armas.

Alguns membros da elite militar dos EUA também especularam sobre a possibilidade de se envolver em um confronto militar com a China. O tenente-general Ben Hodges, ex-comandante dos EUA na Europa, certa vez sugeriu que Washington "deve lidar com a ameaça chinesa" no Pacífico.

"Os Estados Unidos precisam de um pilar europeu muito forte", disse ele ao Fórum de Segurança de Varsóvia em outubro. "Eu acho que em 15 anos — não é inevitável — mas é uma grande probabilidade de estarmos em guerra com a China".

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала