Corpo celeste mais distante pode fornecer pistas sobre formação do Sistema Solar (FOTO)

© NASASonda New Horizons
Sonda New Horizons - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um pequeno conjunto de dados coletado pela sonda News Horizons da NASA promete fornecer pistas sobre como os planetas, luas e demais corpos celestes do Sistema Solar se formaram, relatam cientistas da agência espacial norte-americana em conferência de imprensa na quarta-feira (2).

Apesar de ter que esperar os próximos vinte meses para que todos os dados coletados cheguem à Terra, os cientistas disseram que as informações iniciais já permitiram uma nova compreensão sobre os processos que deram origem à criação do Sistema Solar.

"Isso nos leva ao começo da história do Sistema Solar, a um lugar onde podemos observar os blocos de construção mais primordiais dos planetas", esclareceu um dos investigadores do programa New Horizons da NASA, Jeff Moore.

​As imagens mais recentes revelam que o astro 2014 MU69, também conhecido como Ultima Thule, localizado a vários bilhões de quilômetros da Terra, no cinturão de Kuiper, consiste em dois corpos vermelhos conectados com cerca de 32 quilômetros de extensão total, sendo um dos corpos cerca de três vezes maior que o outro.

Moore explicou que os corpos poderiam ter se unido pela atração gravitacional ou simplesmente ter colidido a velocidades de apenas alguns quilômetros por hora, sem danificar nenhum deles.

Em 1º de janeiro, a sonda espacial norte-americana New Horizons se aproximou do corpo celeste 2014 MU69 e o sobrevoou com sucesso.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала