Radiação devoradora: como viagem a Marte pode diminuir expectativa de vida da tripulação

Nos siga noTelegram
A viagem de dois anos a Marte tirará dois anos e meio da vida de cada tripulante por causa do impacto da radiação durante o voo, de acordo com relatório, acessado pela Sputnik e apresentado na Conferência de Medicina Aeroespacial e Ecológica, realizada em Moscou.

"Foram realizados cálculos de riscos sumários de radiação durante toda a vida de cosmonautas depois de voos prolongados, ou seja, de até três anos de duração, a Marte no período de atividade solar máxima em abrigos de alumínio com diferentes espessuras para proteção contra radiação", lê-se no documento.

Vista da superfície de Marte gravada pela sonda InSight da NASA - Sputnik Brasil
Sonda da NASA captura som de vento e envia novas fotos de Marte
Com um simples aparelho espacial arredondado e um manequim do tamanho de um adulto a bordo, cientistas avaliaram os riscos durante lançamento do aparelho para órbita de Marte com ajuda de motor a jato e um sistema de propulsão nuclear.

Segundo os pesquisadores, um voo de dois anos de ida e volta de Marte cria um risco de 7,5% de radiação durante a vida de cosmonautas, independentemente da idade, até mesmo em um abrigo contra a radiação de 20gr/cm², fazendo com que a expectativa de vida dos tripulantes diminua em média 2,5 anos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала