Avanço inédito: surge 1ª FOTO do polo norte do Sol

Nos siga noTelegram
Embora existam muitas missões enviadas pela ESA para análise do Sol, a maioria das sondas tem focado observações nas regiões equatoriais, deixando os polos relativamente inexplorados, algo que levou os cientistas à ideia de usar criatividade e tirar imagens de uma região remota solar.

A imagem apareceu graças às observações feitas pela Proba-2 que finalmente conseguiu reconstruir uma visão do polo norte. Embora os polos não possam ser vistos diretamente, quando a espaçonave observa a atmosfera do Sol, coleta dados de tudo o que entra em sua linha de visão, incluindo a atmosfera que se estende ao longo do disco solar. A partir desses dados, os cientistas podem deduzir a aparência das regiões polares.

© Foto / ESA / Observatório Real da BélgicaPolo norte solar fotografado pela sonda Proba-2 da Agência Espacial Europeia (ESA)
Polo norte solar fotografado pela sonda Proba-2 da Agência Espacial Europeia (ESA) - Sputnik Brasil
Polo norte solar fotografado pela sonda Proba-2 da Agência Espacial Europeia (ESA)

Ciclistas no pôr-do-sol à beira-mar perto do Parque Olímpico em Sochi (Rússia) - Sputnik Brasil
Cientista aponta quantos anos de vida restam ao Sol
Na imagem, que inclui dados do SWAP (câmera ultravioleta extrema da Proba-2), é possível observar os traços deixados por montagem. A linha que cruza o centro apareceu devido às pequenas mudanças na atmosfera solar que ocorreram durante o tempo necessário para criar a imagem. Sem contar na protuberância brilhante na parte superior direita do Sol que surgiu devido a um buraco coronal de baixa latitude que gira em torno do disco solar.

A região do buraco coronal polar, que pode ser vista como uma mancha escura no centro do disco solar, é uma fonte de vento solar rápido. É possível notar que há uma rede sutil de estruturas claro-escuras, que podem causar variações na velocidade do vento solar.

"Esse tipo de visão contribui significativamente para desvendar os segredos dos polos, bem como a forma em que as ondas se propagam pela nossa estrela ou de que se originam tais fenômenos como buracos e ejeções coronais que afetam o clima espacial ao redor da Terra", sublinha a ESA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала