Ucrânia tentou envolver Alemanha em uma guerra, diz ex-chanceler alemão

© Sputnik / Sergei Malgavko / Abrir o banco de imagensNavios ucranianos
Navios ucranianos - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Ucrânia tentou envolver a Alemanha em uma guerra, afirmou o ex-ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Sigmar Gabriel, ao canal N-TV.

"Acho que não devemos permitir de modo algum que a Ucrânia nos envolva em uma guerra. A Ucrânia tentou fazer isso", disse o diplomata alemão, comentando o incidente no estreito de Kerch.

O presidente russo, Vladimir Putin, no Fórum Internacional Técnico-Militar EXÉRCITO 2018 - Sputnik Brasil
Crise com a Ucrânia continuará enquanto 'partido da guerra' estiver no poder, diz Putin
Ao mesmo tempo, Gabriel também acusou a Rússia, que protegia suas águas territoriais dos navios ucranianos que as atravessavam, de "violar o direito internacional" e expressou a esperança que a chanceler alemã Angela Merkel consiga "encaminhar as partes para relações normais".

Recentemente, em entrevista ao jornal alemã Funke Media, o líder ucraniano Pyotr Poroshenko falou sobre a necessidade de a Alemanha e seus aliados aumentarem sua presença militar no mar Negro "como um fator dissuasivo para a Rússia". Trechos da entrevista foram publicados no seu site.

Anteriormente, Poroshenko já se tinha mostrado esperançoso que a OTAN viesse apoiá-lo com o envio de navios da OTAN ao mar Negro após o incidente em questão.

Incidente no estreito de Kerch

Bundestag, sede do parlamento alemão - Sputnik Brasil
Política alemã apela para fechar portos europeus e americanos a navios russos
Em 25 de novembro, três navios ucranianos violaram a fronteira russa entrando nas águas territoriais do país e realizando manobras perigosas. Como as embarcações ucranianas ignoraram os avisos das autoridades russas, a guarda fronteiriça deteve os navios com 24 tripulantes a bordo, o tribunal abriu um processo criminal contra os marinheiros.

Logo após o incidente, Kiev introduziu a lei marcial em 10 regiões do país por 30 dias. A lei limita temporariamente as liberdades e direitos constitucionais dos cidadãos, incluindo o direito de voto e de liberdade de expressão.

Moscou qualificou o incidente como uma provocação que é explicada pela baixa popularidade do presidente Pyotr Poroshenko nas vésperas das eleições presidenciais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала