Medidas duras de segurança foram tomadas pela Rússia após ameaças ucranianas, diz MRE

© Sputnik / Aleksandr Vilf / Abrir o banco de imagensMaria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, durante uma coletiva em Moscou
Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, durante uma coletiva em Moscou - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, disse que medidas severas de segurança foram tomadas pela Rússia no estreito de Kerch, após as ameaças ucranianas de atacar a ponte da Crimeia.

Segundo a representante oficial do MRE russo, as autoridades da Ucrânia não conseguem controlar não apenas o que acontece em águas territoriais alheias, como o que ocorre no seu próprio território, onde "reinam" os radicais e se ouvem constantemente apelos a ações terroristas tanto na Ucrânia, quanto fora de país.

"Exatamente por isso, a parte russa aumentou as medidas de segurança, especialmente levando em consideração os apelos à destruição, explosão, etc. da ponte da Crimeia. Não é um capricho, é uma norma de tratamento civilizado, inclusive relativamente à Ucrânia", disse Zakharova.

Navio militar norte-americano Donal Cook e a fragata ucraniana Getman Sagaidachny durante os exercícios navais Sea Breeze-2015 em Odessa, Ucrânia, 1 de setembro de 2015 (foto de arquive) - Sputnik Brasil
Estados Unidos 'desenham' cenário de confronto para Ucrânia, diz senador russo
Em 26 de novembro, o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko apoiou a proposta do Conselho de Segurança e Defesa Nacional de introdução da lei marcial no país depois do incidente no estreito de Kerch. Mais tarde a lei marcial foi aprovada pelo parlamento ucraniano. A lei abrange diferentes partes do país e estará em vigor durante 30 dias.

A decisão foi tomada após o incidente com três navios ucranianos no estreito de Kerch.

Em 25 de novembro três navios da Marinha ucraniana, Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu, violando os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre o direito marítimo, cruzaram a fronteira da Rússia. Os navios realizaram manobras perigosas durante várias horas sem reagir às exigências das embarcações russas que os acompanhavam.

Foi tomada a decisão de usar armas. Os navios ucranianos foram detidos. Durante o incidente, três militares ucranianos ficaram levemente feridos. Eles receberam assistência médica e não correm risco de vida. A Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала