Presidente do Irã chama Israel de 'tumor cancerígeno', e Israel responde

© Sputnik / Sergei Guneev / Abrir o banco de imagensHassan Rouhani.
Hassan Rouhani. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, atacou o presidente iraniano, Hassan Rouhani, depois deste ter chamado Israel de um "tumor cancerígeno" no Oriente Médio.

"Israel sabe muito bem como se defender do regime iraniano assassino", disse Netanyahu na noite de sábado, segundo o Jerusalem Post. "A difamação de Rouhani, que pede a destruição de Israel, prova mais uma vez por que as nações do mundo precisam se unir às sanções contra o regime terrorista iraniano que as ameaça".

Masked militants from the Izzedine al-Qassam Brigades, a military wing of Hamas, stand guard near a mockup of a prison cell during a rally marking Palestinian prisoners Day, in Gaza City, Monday, April 17, 2017 - Sputnik Brasil
Ministro de Israel ameaça matar líder do Hamas: 'Seu tempo é limitado'
O comentário vem em resposta ao discurso de Rouhani, no qual o presidente iraniano criticou o Ocidente pela criação do Estado de Israel e também criticou Israel por ser uma ferramenta nas mãos do Ocidente.

Um dos "efeitos mais importantes da Segunda Guerra Mundial foi a formação de um tumor cancerígeno [Israel] na região", disse Rouhani, pedindo que o mundo muçulmano, incluindo a Arábia Saudita, se unisse contra Israel e os Estados Unidos.

"Eles mobilizaram um poder na região que obedece completamente ao Ocidente em assuntos regionais", disse o presidente iraniano, acrescentando que "eles formaram o falso regime israelense e mataram e deslocaram a nação histórica da Palestina".

Durante seu discurso, Rouhani pediu à Arábia Saudita, conhecida aliada dos EUA, que una-se a uma frente unida contra Israel, afirmando que Teerã considera os sauditas como "irmãos" e "não exige [para isso] um acordo de US $450 bilhões", em alusão aos acordos comerciais de Riad com Washington.

Em seu discurso, Rouhani disse que, se Riad se submeter ao Ocidente, Teerã irá considerar o ato como uma "traição contra sua religião [comum]" e "contra futuras gerações desta região".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала