Serviços especiais ocidentais estariam dificultando investimentos estrangeiros na Crimeia

© Sputnik / Artem Kreminsky / Abrir o banco de imagensCrimeia
Crimeia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Investidores dos EUA e da UE continuam implementando seus projetos de negócios na Crimeia, mas seus nomes não podem ser divulgados por causa do regime de sanções, disse à Sputnik o vice-primeiro-ministro do Desenvolvimento Econômico da Crimeia, Andrei Kulik.

"Estes são representantes de países europeus, Itália, Alemanha e Europa Oriental. Há também representantes dos Estados Unidos. Nem todos gostariam que seus nomes fossem anunciados, por causa do regime de sanções", disse Kulik a repórteres.

Soldado ucraniano dirigindo um veículo blindado de transporte na região de Donetsk, na Ucrânia - Sputnik Brasil
Provocações podem levar a uma catástrofe na Ucrânia, diz político da Crimeia
Agências de inteligência de países ocidentais impedem a chegada de investidores estrangeiros na Crimeia, uma dessas tentativas foi realizada pela República Tcheca.

"Os serviços especiais tchecos dirigiram-se a um de nossos colegas com perguntas sobre o que ele estava fazendo na Crimeia e quais eram seus interesses comerciais. Isso é o que eu realmente sei. Quando serviços especiais apelam, isso pode ser considerado como pressão ou como interesse", acrescentou ele a repórteres.

Existem restrições associadas à ação dos serviços especiais de vários países que impedem ou, ao menos, limitam as atividades e a possibilidade de livre movimentação dos participantes no processo de negociações.

Turkish stream (Corrente Turca) - Sputnik Brasil
Ucrânia 'conta as perdas' após lançamento do gasoduto Turkish Stream
Segundo ele, nos últimos cinco anos, os investidores estrangeiros se adaptaram às restrições de sanções impostas à Crimeia.

"Todo mundo entende como e o que precisa ser feito para minimizar o impacto dessas sanções", sublinhou o vice-primeiro-ministro.

Após o golpe ocorrido na Ucrânia e a reunificação da Crimeia à Rússia (através de referendo e de forma democrática), as relações entre o país eslavo e o Ocidente pioraram. Os EUA, junto com outros países, acusaram Moscou de intervenção nos assuntos internos ucranianos, o que foi repetidamente negado pela Rússia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала