Pequim defenderá seu território custe o que custar, afirma ministro da Defesa chinês

© AP Photo / Mark SchiefelbeinO secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis e o ministro da Defesa da China, Wei Fenghe juntos durante uma cerimônia de boas-vindas no Edifício Bayi, em Pequim.
O secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis e o ministro da Defesa da China, Wei Fenghe juntos durante uma cerimônia de boas-vindas no Edifício Bayi, em Pequim. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ministro da Defesa da China, Wei Fenghe, afirmou durante o encontro com o secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, que o país está pronto para defender seu território a qualquer custo.

O encontro ocorreu nesta sexta-feira [9] durante o segundo Diálogo Diplomático e de Segurança entre China e EUA, em Washington. Além do ministro da Defesa chinês e do secretário de Defesa americano, estiveram presentes o diretor do escritório de Relações Externas do Partido Comunista chinês, Yang Jiechi, e o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

Helicóptero S70 da Marinha de Taiwan decola de uma fragata da classe Perry durante treinamentos na estação naval de Suao, no condado de Yilan, nordeste de Taiwan, em 13 de abril de 2018 - Sputnik Brasil
Marinha de Taiwan comissiona 2 navios de guerra feitos nos EUA em meio a tensões com China
Durante o encontro foram discutidos problemas como Taiwan, considerado como um assunto sensível para as relações bilaterais entre EUA e China, além da situação no mar da China Meridional e na península da Coreia.

Acontece que os EUA teriam enviado armas para Taiwan, gerando protestos por parte dos chineses, que advertiram que o gigante asiático tomará todas as medidas necessárias caso haja uma tentativa para separar Taiwan.

"As Forças Armadas da China são decididamente contra qualquer ação que pretenda dividir o país, e não se importarão de pagar qualquer preço para defender a soberania, a segurança e a integridade territorial", afirmou o ministro Wei.

Em 1949, ao final da guerra civil, os comunistas chegaram ao poder em Pequim, enquanto os nacionalistas, derrotados, refugiaram-se em Taiwan. Entretanto, comunistas e nacionalistas consideram como uma "obrigação" a reunificação entre os dois territórios, porém, não concordam em relação aos termos que deverão seguir.

Sendo assim, Pequim considera a ilha como sendo uma província rebelde destinada a se reunir ao restante território chinês. No momento, Taiwan exibe uma pujança econômica alimentada pela presença americana na Ásia durante a Guerra Fria e por isso se considera independente.

A disputa entre os dois territórios já dura mais de meio século e, segundo a história, a paz entre os dois será um complexo enigma.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала