Macron e Merkel fortalecem união em evento pelo centenário da Primeira Guerra Mundial

© AP Photo / Philippe WojazerO presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, participaram da inauguração de uma placa para a reconciliação entre os dois países.
O presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, participaram da inauguração de uma placa para a reconciliação entre os dois países. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da França, Emmanuel Macron, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, participaram da inauguração neste sábado (10) de uma placa para a reconciliação entre os dois países. O evento ocorreu no local onde foi assinado o armistício que encerrou a Primeira Guerra Mundial.

Em uma cerimônia altamente simbólica, Macron e Merkel se encontraram perto de Compiegne, no leste da França, onde a Alemanha se rendeu oficialmente na madrugada de 11 de novembro de 1918, encerrando mais de quatro anos de massacre na frente ocidental.

Foi a primeira vez que um líder alemão visitou o local desde a Segunda Guerra Mundial.

A visita ressaltou os laços entre dois países que travaram três guerras entre 1870 e 1945, mas agora são vistos como os eixos da paz na Europa Ocidental.

Foi inscrita a seguinte mensagem na placa:

"No centenário do armistício de 11 de novembro de 1918, o Sr. Emmanuel Macron, presidente da República Francesa, e a Sra. Angela Merkel, Chanceler da República Federal da Alemanha, aqui reafirmaram o valor da reconciliação franco-alemã a serviço da Europa e paz."

Trump se reúne com apoiadores na Pensilvânia. - Sputnik Brasil
Trump diz que ideia de Macron sobre exército europeu é 'muito insultante'
Ela foi colocado ao lado de outra placa que remonta à Primeira Guerra Mundial, onde se lê: "O orgulho criminoso do império alemão morreu aqui em 11 de novembro de 1918, vencido pelas pessoas livres que procurava escravizar".

O local a céu aberto de Rhetondes é duplamente simbólico, pois Adolf Hitler escolheu o mesmo local para assinar a rendição dos franceses em 22 de junho de 1940, no início da Segunda Guerra Mundial.

A Alemanha insistiu que a carruagem ferroviária em que foi assinado o armistício da Primeira Guerra Mundial fosse retirada de um museu e devolvida a Rhetondes para a cerimônia com Hitler. Ela foi destruída durante a guerra e uma réplica está agora no local.

Macron e Merkel devem viajar para Paris, onde cerca de 70 líderes mundiais se reunirão no domingo para marcar o 100º aniversário do fim da guerra no túmulo do Soldado Desconhecido sob o Arco do Triunfo.

Cerca de 10 milhões de soldados morreram durante a Primeira Guerra Mundial.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала