Autoridades de Donetsk: Ucrânia prepara provocações com utilização de substâncias químicas

© REUTERS / Gleb GaranichSoldados das Forças Armadas ucranianas e veículos blindados na região de Debaltsevo perto de Artemivsk, Ucrânia (foto de arquivo)
Soldados das Forças Armadas ucranianas e veículos blindados na região de Debaltsevo perto de Artemivsk, Ucrânia (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os militares ucranianos estão preparando uma provocação com a utilização de substâncias químicas para impedir a realização das eleições na República Popular de Donetsk, afirmou nesta segunda-feira (5) o chefe da assessoria do comando operacional de Donetsk, Daniil Beznosov.

De acordo com ele, as unidades das Forças Armadas da Ucrânia que se encontram na região de Donbass "estão sendo urgentemente reequipadas com meios de defesa radioquímica e biológica".

Lançamento de míssil S-300 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Ucrânia lança míssil S-300V1 pela primeira vez em 19 anos (VÍDEO)
"Estamos apelando para que a comunidade internacional impeça esses crimes", acrescentou Beznosov.

Anteriormente, ele comunicou que conselheiros da OTAN e representantes de empresas militares privadas chegaram à região de Donbass para preparar atentados terroristas e provocações, visando impedir a realização das eleições. 

As eleições dos líderes e de deputados nas Repúblicas Populares de Donetsk e de Lugansk estão previstas para o dia 11 de novembro. As autoridades de Kiev afirmaram que não iriam reconhecer os resultados do pleito. Prevê-se que mais de 30 representantes de 14 países, inclusive de países da União Europeia, se desloquem à região na qualidade de observadores. 

O conflito no sudeste da Ucrânia dura há 4,5 anos. Em 2014, as autoridades ucranianas iniciaram uma operação militar contra as repúblicas populares de Donetsk e de Lugansk, que declararam sua independência depois do golpe de Estado que ocorreu na Ucrânia em 2014.

Sistema ucraniano de mísseis Buk-M1 - Sputnik Brasil
Ucrânia realiza exercícios com mísseis na fronteira com Crimeia
Segundo as últimas estimativas da ONU, as ações militares em Donbass resultaram na morte de mais de 10 mil pessoas.

Em fevereiro de 2015, as partes em conflito assinaram os acordos de paz de Minsk para acabar com os combates na região, mas a situação permaneceu tensa, com as duas partes acusando-se mutuamente de violações do cessar-fogo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала