- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Bolsonaro:'um novo momento para o Brasil'

© REUTERS / Ricardo MoraesGustavo Bebianno, presidente do partido PSL, fala a Jair Bolsonaro, candidato à presidencia do Brasil, durante uma coletiva no Rio, em 11 de outubro de 2018
Gustavo Bebianno, presidente do partido PSL, fala a Jair Bolsonaro, candidato à presidencia do Brasil, durante uma coletiva no Rio, em 11 de outubro de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), avisou nas redes sociais que surgirá "um novo momento para o Brasil". Segundo o político, o "Estado servirá à população" e não o contrário.

"Surge um novo momento, onde o Estado servirá à população e não o historicamente destrutivo oposto", afirmou o presidente eleito em sua conta no Twitter.

Lucia Topolansky, vice-presidente do Uruguai - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Bolsonaro não é bobo de deixar o Mercosul de lado, afirma vice-presidente do Uruguai
Bolsonaro comparou de forma crítica sua campanha com a do seu oponente do PT. "Gastamos cerca de 20 vezes menos que o segundo colocado, sem prefeitos, governadores ou máquinas. Todo o possível quadro foi mudado graças a conexão com o que almeja a população".

Nesta terça-feira, Bolsonaro e sua equipe devem estar em Brasília para realizar uma série de reuniões.

Segundo o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que assumirá a Casa Civil, o novo presidente terá reuniões com representantes do Judiciário, Legislativo e Executivo.

Bolsonaro deve esncontrar o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE).

Na quarta-feira, Bolsonaro se reúne com o presidente Michel Temer, com quem já conversou algumas vezes por telefone.

Para o futuro governo, Bolsonaro confirmou cinco nomes: o general da reserva Augusto Heleno para a Defesa; Paulo Guedes, para o superministério da Economia; o juiz Sérgio Moro, para a Justiça; Onyx Lorenzoni, para a Casa Civil, e Marcos Pontes, para Ciência e Tecnologia.

O presidente eleito confirmou que pretende reduzir o número de ministérios de 29 para 15 ou 17. O número exato ainda não foi definido, informou Agência Brasil.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала