Empresas financeiras britânicas terão acesso ao mercado europeu após Brexit

Nos siga noTelegram
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, negociou com Bruxelas o acesso de empresas britânicas que prestam serviços financeiros ao mercado europeu depois do Brexit, informou uma fonte no governo britânico.

O acordo em questão permitirá que as empresas financeiras britânicas permaneçam na Europa e continuem trabalhando como antes.

Segundo a fonte, Londres e Bruxelas também chegaram a um acordo preliminar sobre todos os aspectos da colaboração em serviços, incluindo a troca de informações.

Bandeira do Reino Unido perto do parlamento britânico, em Londres, em abril de 2017 - Sputnik Brasil
Precisamos de 'muito mais tempo' para alcançar o acordo Brexit, diz representante da UE
O ministro britânico do Brexit, Dominic Raab, estava otimista com o acordo final com Bruxelas e espera resolver a questão até o dia 21 de novembro.

No entanto, a questão da fronteira com a Irlanda ainda está pendente.

Em junho de 2016, o Reino Unido realizou um referendo sobre a saída da UE, em que 51,9% dos britânicos votaram a favor de deixar o bloco europeu.

Reino Unido e UE negociam as condições do "divórcio" há meses, mas o prazo para um acordo final foi adiado mais uma vez, agora para novembro.

Se o bloco e Londres não chegarem a um acordo em novembro, os parlamentos nacionais de cada parte podem não conseguir ratificar o documento antes do Brexit, previsto para 29 de março de 2019. Se isso acontecer, a separação será realizada sem um acordo e com grandes incertezas sobre as futuras relações entre a Grã-Bretanha e a UE.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала