'Diferentes concepções': revista norte-americana compara tanques ocidentais e Armata russo

© Sputnik / Vladimir Astapkovich / Abrir o banco de imagensTanque T-14 Armata durante ensaios da Parada de Vitória em Moscou (foto de arquivo)
Tanque T-14 Armata durante ensaios da Parada de Vitória em Moscou (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A revista norte-americana The National Interest destacou as duas concepções principais na construção de tanques modernos.

Como exemplos da primeira a edição apontou os tanques Abrams e Leopard 2, que têm suas munições instaladas em um compartimento isolado em um nicho traseiro na torre.

Tanque T-64 durante treinamentos (imagem referencial) - Sputnik Brasil
Regresso ao passado: veja FOTOS do 'tanque do século XXI' desenhado na URSS
Enquanto isso, nos tanques russos as munições se encontram no corpo de tanque e na torre, de onde elas podem ser movidas manualmente pela tripulação até o carregador automático enquanto vão se gastando. Esta é a segunda concepção.

O emprego do carregador automático permite diminuir a tripulação até 3 homens, bem como reforçar a blindagem por conta da redução do volume interno. Essa construção tem suas desvantagens. Se um tanque for atingido, o risco de explosão das munições é alto, indica o autor da matéria.

Entretanto, o novo Armata russo utiliza outo esquema, usando um carregador automático de carrossel, completamente separado da tripulação, que se encontra em uma cápsula blindada, de acordo com a edição. Tal solução permite aumentar a segurança da tripulação, bem como manter uma torre relativamente baixa sem um compartimento para munições vulnerável.

De acordo com o The National Interest, o carregamento automático não é muito popular no Ocidente. É que tal esquema contradiz a concepção dos tanques alemães e norte-americanos. Estes veículos contam com quatro homens na tripulação, tendo o quarto como municiador. Acredita-se que a presença de um tripulante a mais facilita a manutenção do veículo e a possiblidade de consertá-lo em condições de combate.

Tanque T-14 Armata durante ensaios da Parada de Vitória em Moscou (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Réplica ao Armata? Especialista militar comenta protótipo de novo tanque britânico
Segundo a edição, o nicho traseiro para armazenar as munições é um local vulnerável que limita a capacidade de manobra na torre e constitui, assim, uma séria desvantagem de tal esquema.

Além disso, o calibre dos canhões de tanques modernos pode aumentar com o tempo, e então os municiadores começarão a se atrasar em relação aos sistemas automáticos, ressaltou a mídia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала