'Rússia é uma ameaça': Polônia quer mais tropas permanentes dos EUA no país

© AP Photo / Alik KepliczExército polonês e norte-americano em exercícios "Anaconda" da OTAN na Polônia, em 6 de junho de 2016 (foto de arquivo)
Exército polonês e norte-americano em exercícios Anaconda da OTAN na Polônia, em 6 de junho de 2016 (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O ministro de Relações Exteriores da Polônia, Jacek Czaputowicz, afirmou à Sputnik nesta sexta-feira que a Polônia reforçaria a cooperação militar com os Estados Unidos, enfatizando que Varsóvia buscava a presença permanente de militares americanos no país.

"Desde 2008, temos cooperado com os Estados Unidos [na esfera militar]. Tomamos a decisão de construir uma base antimíssil em Redzikowo. Já há unidades dos EUA lá […] A presença militar dos EUA na Polônia já é significativa devido ao fato de que a Rússia é uma ameaça. Queremos que esta presença seja aumentada e permanente", disse Czaputowicz.

Ele observou que 3.000 soldados dos EUA foram enviados para a Polônia segundo o princípio rotativo.

Helicóptero Mi-8 da Força Aérea da Bielorrússia durante os preparativos para as manobras Zapad 2017 - Sputnik Brasil
Bases militares russo-bielorrussas seriam criadas em resposta a planos dos EUA e Polônia?

"A Polônia está agindo de maneira transparente em sua cooperação com a OTAN. Acreditamos que essas ações impulsionam a segurança não apenas da Polônia e da Europa, mas também da OTAN como um todo", destacou Czaputowicz.

Falando sobre o Tratado das Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) e a intenção dos EUA de se retirar do acordo, a autoridade polonesa disse que os tratados deveriam ser seguidos por cada lado.

"E se estamos falando desses mísseis, a Rússia está realizando ações que violam o tratado […] [A Polônia] expressa a compreensão da posição dos EUA sobre o assunto", comentou o ministro.

Ao mesmo tempo, ele disse que a Polônia gostaria de ter relações amigáveis com a Rússia.

"A Polônia gostaria de ter boas relações com a Rússia, cooperação em nível de sociedades e estados, mas a comunidade internacional deve estar unida e demonstrar que não pode haver consentimento para a violação do direito internacional", disse Czaputowicz.

No sábado, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a intenção de seu país de retirar-se do Tratado INF sobre as supostas violações do acordo pela Rússia.

Mariusz Blaszczak, ministro do Interior da Polônia na época, fala com agentes da guarda de fronteira polonesa no centro de trânsito de refugiados perto da cidade macedônia de Gevgelija, em 24 de maio de 2016 - Sputnik Brasil
Polônia trabalha para aumentar número de militares na fronteira russa, afirma ministro

Na segunda-feira, o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, pontuou que a Rússia esperaria pelos esclarecimentos oficiais dos Estados Unidos sobre sua possível retirada do Tratado INF e só então determinaria sua própria posição sobre o assunto.

A autoridade russa acrescentou que qualquer ação nesta área seria recebida com oposição, enfatizando que a paridade seria mantida sob quaisquer circunstâncias.

O Tratado INF foi assinado pelo então líder da União Soviética, Mikhail Gorbachev, e depois pelo presidente dos EUA, Ronald Reagan, em 1987, em meio à Guerra Fria. Os dois lados chegaram a um acordo histórico para cortar seus arsenais nucleares e se comprometeram a destruir todos os mísseis balísticos de cruzeiro ou lançados no solo, com alcance entre 310 e 3.400 milhas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала