Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Rússia responderia à saída americana do INF inclusive por via militar, diz vice-ministro

© Sputnik / Vitaly Ankov  / Abrir o banco de imagensDois submarinos nucleares russos perto de ponte-cais (foto de arquivo)
Dois submarinos nucleares russos perto de ponte-cais (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga no
Se os EUA continuarem a sair dos acordos bilaterais unilateralmente, a Rússia empreenderá medidas de resposta, inclusive de caráter militar, disse à Sputnik o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov.

Mais cedo, o presidente dos EUA, Donald Trump, assegurou que sairia do Tratado INF (Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário), assinado com a parte soviética em 1987, acusando ainda Moscou de violar o documento.

"A questão é grave demais para ser resolvida através de uma polêmica pública. Se os norte-americanos continuarem a agir de modo tão grosseiro e brutal, como já vimos em várias situações, se eles continuarem a sair de tratados, diferentes acordos e mecanismos unilateralmente […] não nos restará nada mais que empreender medidas de resposta, inclusive do caráter técnico militar. Mas não queríamos chegar a esse ponto", comentou.

Ele observou que o caráter grosseiro da política externa estadunidense vem provocando protestos em muitos países e em vastos círculos da comunidade internacional.

"É com preocupação e condenação que consideramos as novas tentativas norte-americanas de chantagear a Rússia e para que ela faça concessões no campo da segurança e estabilidade estratégica internacionais. A parte russa reiterou repetidas vezes que o lado estadunidense não tem nenhuns fundamentos para acusar a Rússia de violar o tratado", adiantou o vice-ministro.

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa durante uma sessão da Assembleia Geral, em Nova York, em 26 de setembro de 2018 - Sputnik Brasil
EUA deixam acordo nuclear com a Rússia pois sonham com mundo unipolar, diz fonte
Datado de 1987, o Tratado INF previa a eliminação dos mísseis balísticos e de cruzeiro, nucleares ou convencionais, cujo alcance estivesse entre 500 e 5.500 quilômetros.

Além disso, o acordo permite a qualquer uma das partes inspecionar as instalações militares da outra. De fato, o acordo tem prazo indeterminado, mas qualquer das partes pode rompê-lo caso apresente provas sólidas de violação. Os Estados Unidos e a Rússia já se acusaram repetidamente de violar o tratado.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse em dezembro que os Estados Unidos se retiraram de fato do tratado quando implantaram sistemas de lançamento de mísseis na Romênia. Desde então, nas palavras do mandatário russo, o país tem insistido na narrativa de apresentar a Rússia como violadora do tratado e usar isso como pretexto para se retirar do acordo.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала