Após furacão Leslie Portugal lembra zona de guerra, com infraestrutura destruída

© AFP 2022 / CARLOS COSTABombeiros tentam remover árvores caídas após a passagem do furacão Leslie pela cidade costeira portuguesa de Figueira da Foz, em 14 de outubro de 2018
Bombeiros tentam remover árvores caídas após a passagem do furacão Leslie pela cidade costeira portuguesa de Figueira da Foz, em 14 de outubro de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Pelo menos 27 pessoas ficaram feridas em Portugal em resultado do furacão Leslie, que atingiu a costa do país na noite de sábado para domingo (14), deixando milhares de casas sem eletricidade.

Segundo comunica o jornal El Mundo, na noite de 13 para 14 de outubro, a tempestade tropical abalou os arredores da cidade costeira portuguesa de Figueira da Foz. As rajadas de vento atingiram a velocidade de 176 km/h, provocando o caos nas ruas. Segundo afirmam os moradores locais, após o furacão, sua cidade natal lembra mais uma zona de guerra, com casas destruídas e carros tombados.

​As autoridades declararam o alerta vermelha em 13 dos 18 distritos do país. Destaca-se que, só nessa noite, a Proteção Civil registrou cerca de 1,9 milhares de ocorrências, entre os quais muitos acidentes de trânsito causados por queda de árvores.

​"Os maiores perigos já passaram, estamos no momento em que a curva de incidentes está na fase descendente", explicou o comandante Luís Belo Costa, da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

​Destaca-se que a cidade de Coimbra — que se encontra na parte central do país — sofreu os maiores danos.

​De acordo com o jornal, o furacão Leslie teria sido a maior tempestade tropical em Portugal desde 1842.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала