Embaixadora dos EUA na ONU critica eleições do Conselho de Direitos Humanos

© AP Photo / Seth WenigDonald Trump Nikki Haley United Nations
Donald Trump Nikki Haley United Nations - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, Nikki Haley, criticou o fato de que países com poucas conquistas em direitos Humanos foram escolhidos para se juntar ao Conselho de Direitos Humanos da ONU.

"Hoje, as Nações Unidas elegem novos membros para o Conselho de Direitos Humanos, e há países que têm fracas conquistas de direitos humanos e também foram selecionados sem oposição. Essa falta de padrões continua a enfraquecer a organização", disse a diplomata. 

Deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à presidência do Brasil em 2018, durante evento da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) em São Paulo - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Bolsonaro representa perigo aos direitos humanos de minorias, diz alto comissário da ONU
Haley disse que, apesar desta situação, o seu país continuará a fazer reformas que podem tornar o Conselho de Direitos Humanos "credível" e garantiu que os EUA continuarão a ser "o líder mundial" dos direitos humanos".

Durante as eleições, a Assembleia Geral elegeu 18 membros para integrar o Conselho de Direitos Humanos durante o período de 2019-2021.

O Conselho de Direitos Humanos, com sede em Genebra, criado em 2006, recebeu inúmeras críticas por ter entre seus membros países acusados ​​de violações graves de direitos humanos.

O corpo foi integrado por Argentina, Áustria, Bahamas, Bahrein, Bangladesh, Bulgária, Burkina Faso, Camarões, República Tcheca, Dinamarca, Eritréia, Fiji, Índia, Itália, Filipinas, Somália, Togo e Uruguai.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала