Quanto tempo têm alguns anéis de Saturno antes que sumam para sempre?

CC0 / NASA/JPL / Cassini Saturn Orbit InsertionImagem artística da sonda espacial Cassini perto de Saturno
Imagem artística da sonda espacial Cassini perto de Saturno - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Dados obtidos pela sonda Cassini em seus últimos suspiros indicam que a matéria dos anéis externos de Saturno está caindo rapidamente na atmosfera do planeta, o que causará desaparecimento destes anéis em breve, comunicou a revista Science.

"A chuva dos anéis de saturno é uma chuva torrencial, e não uma garoa, caindo na atmosfera do planeta. Gelo, gotas de água e poeira se movimentam tão rapidamente que Saturno ‘come' de 10 a 45 toneladas de matéria dos anéis por segundo", declarou Hunter Waite, físico do Instituto de Pesquisas do Sudoeste dos EUA.

Depois de quase 20 anos no espaço, a missão interplanetária Cassini se despediu de todos em setembro do ano passado, "mergulhando" na atmosfera de Saturno para desvendar como surgiu campo magnético no planeta e entender a relação entre o gigante com a aglomeração de gás e poeira.

Marte (ilustração) - Sputnik Brasil
Cientistas acabam de descobrir novo perigo que ameaça vida de potenciais viajantes a Marte
Segundo Waite, a sonda Cassini passou seus últimos momentos em uma zona específica da atmosfera de Saturno, onde chove microgotas de água e poeira, que caem em Saturno dos anéis mais perto dele.

Astrônomos descobriram esse fluxo de água e poeira ainda em 1980, mas não tinham certeza se era causado pelos anéis de Saturno. Ao dar seu último mergulho, a Cassini, além de confirmar que a chuva vem dos anéis, descobriu que a composição dos mesmos é bem parecida com a matéria dos cometas, contendo substâncias orgânicas, oxigênio e amoníaco.

Segundo medições da Cassini, a quantidade de gelo e poeira que cai no planeta é muito maior da que previa a teoria que descreve a organização dos anéis de Saturno e suas interações, comunicou a revista Science.

Imagem de cratera de Marte com sedimento de gelo seco tirada pela ExoMars Trace Gas Orbiter (TGO) - sonda conjunta da Agência Espacial Europeia (ESA) e da Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos) - Sputnik Brasil
Há água gelada em Marte e aparelho russo a encontrou
As informações recebidas são importantíssimas. De acordo com Waite, os anéis D e C, mais próximos ao planeta, podem vir a desaparecer "em instantes" por medidas cósmicas. O anel D, vizinho mais próximo a Saturno, será completamente "sugado" pelo planeta daqui a um período entre 7 e 60 mil anos se não for revigorado pelo anel C. Já o anel C, que tem mais matéria, desaparecerá mais tarde, daqui a um período entre 700 mil e 7 milhões de anos.

Os dados obtidos trazem luz a questões nunca antes desvendadas. Constata-se que nem sempre Saturno foi dono de anéis e com muito mais frequência destruiu suas luas, abrindo um leque de novas questões, por exemplo, como surgem anéis e quão longamente eles existiram no passado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала