Moscou: Frente al-Nusra e terroristas ligados à Al-Qaeda organizam provocações em Idlib

© AFP 2022 / RAMI AL-SAYEDJihadistas de Frente al-Nusra (arquivo)
Jihadistas de Frente al-Nusra (arquivo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A chancelaria russa relatou nesta quinta-feira (4) que os combatentes da Frente al-Nusra e grupos terroristas legados à organização Al-Qaeda (ambas proibidas na Rússia) estão organizando provocações na zona de desescalada na província síria de Idlib.

Segundo a representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova, membros da Frente al-Nusra e radicais ligados à Al-Qaeda (ambas organizações terroristas proibidas na Rússia) estão tentando continuar resistindo na Síria.

"Militantes radicais […], por medo de serem isolados devido aos acordos russo-turcos, organizam várias provocações e aquecem situação ao longo da zona de desescalada de Idlib, convocando para continuar a chamada resistência", comentou a representante.

Sírios evacuados das vilas sob o controle dos terroristas perto de Idlib, Aleppo, Síria, 19 de dezembro de 2016 - Sputnik Brasil
Mais de 300 pessoas deixaram zona segura de Idlib nas últimas 24 horas
Além disso, a chancelaria afirmou continuar recebendo dados de que terroristas em Idlib estão encenando grandes ataques químicos para culpar o governo sírio de estar realizando-os, já tendo levado para lá substâncias químicas e equipamento de filmagem.

"O que nos preocupa em especial é que o papel de alegadas vítimas nestas encenações podem ser desempenhados por civis sequestrados pelos terroristas, incluindo mulheres e crianças", destacou.

Ao mesmo tempo, Zakharova acrescentou qeu uma parte da oposição armada síria apoia a criação da zona desmilitarizada na província, iniciativa proposta por Moscou e Ancara.

"De acordo com informação recebida, alguns grupos da oposição armada síria, que estão em Idlib, anunciaram apoio ao acordo sobre criação da zona desmilitarizada", declarou Zakharova em um briefing.

Anteriormente, os presidentes da Rússia e Turquia, Vladimir Putin e Recep Tayyip Erdogan, respectivamente, decidiram criar até 15 de outubro uma zona desmilitarizada ao longo da linha de contato da oposição armada e forças governamentais em Idlib. Os ministros da Defesa dos dois países, por sua vez, assinaram um memorando sobre a estabilização da situação na província síria.

Rússia, Turquia e Irã atuam como garantidores da paz na Síria onde desde 2011 continua conflito armado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала