Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Imprensa: Skripal não acreditou no envolvimento da Rússia em seu envenenamento

© Sputnik / Alex McNaughton / Abrir o banco de imagensMilitares limpando os pontos relacionados ao envenenamento de Skripal em Salisbury.
Militares limpando os pontos relacionados ao envenenamento de Skripal em Salisbury. - Sputnik Brasil
Nos siga no
O ex-membro do Departamento Central de Inteligência da Rússia (GRU), Sergei Skripal, inicialmente não acreditou que a Rússia estaria envolvida na tentativa de envenená-lo, comunicou o jornal The Guardian, citando o jornalista britânico, Makr Urban.

O repórter se encontrou pessoalmente com o ex-espião russo enquanto estava recolhendo informações para seu livro "Caso Skripal". De acordo com ele, Sergei Skripal, ao acordar do coma, "inicialmente esteve relutante em reconhecer que tinha sido alvo do 'plano de assassinato' do Kremlin".

O jornalista assinalou que até o incidente na cidade britânica de Salisbury ter acontecido, Skripal "apoiava a posição do Kremlin em muitas questões", especialmente em relação ao retorno da Crimeia para a Rússia, sendo, em geral, "nacionalista russo sem vergonha", apesar de estar colaborando com a inteligência britânica.

Entrevista de Ruslan Boshirov e Aleksandr Petrov ao canal de TV russo RT - Sputnik Brasil
Kremlin: Putin pode provar que suspeito de envenenar Skripal é civil
Em Salisbury, no dia 4 de março, foram envenenados Sergei Skripal e sua filha Yulia, o que provocou um escândalo internacional. As autoridades do Reino Unido responsabilizam o governo russo de envolvimento no envenenamento, enquanto Moscou vem desmentindo categoricamente todas as acusações. 

No dia 5 de setembro, a Procuradoria do Reino Unido acusou dois cidadãos russos, Aleksandr Petrov e Ruslan Boshirov, de terem cometido quatro crimes, inclusive tentativa de assassinato dos Skripal e de um agente policial britânico, indicando que os dois seriam funcionários da GRU.

Em entrevista à editora-chefe do RT e da Sputnik Margarita Simonyan, os "suspeitos" disseram ter visitado o Reino Unido como turistas, desmentindo seus laços com serviços especiais.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала