Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

México nega participação em atentado contra Maduro

© SputnikBandeira do México
Bandeira do México - Sputnik Brasil
Nos siga no
O México não particiou de forma algum em ataque fracassado contra o presidente venezuelano Nicolás Maduro, declarou o Ministério das Relações Exteriores do país latino-americano.

"O Governo do México, através do Ministério das Relações Exteriores, rejeita categoricamente as acusações infundadas que o Ministro da Comunicação e Informação do Governo da República Bolivariana da Venezuela emitiu hoje sobre a suposta participação de nosso pessoal diplomático em Caracas no alegado ataque contra o presidente Nicolás Maduro", informou a chancelaria mexicana no comunicado.

O Ministério das Relações Exteriores acrescentou que o governo e os diplomatas mexicanos agem de acordo com as regras do direito internacional e as disposições sobre política externa da Constituição do México.

Ele ressaltou que "o México continuará a fazer esforços diplomáticos para contribuir para uma solução pacífica, definida pelos próprios venezuelanos, para a grave crise que enfrenta aquele país".

Forças de segurança rodeiam o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, durante o atentado em Caracas em 4 de agosto - Sputnik Brasil
Atentado fracassado contra Maduro tem 43 suspeitos envolvidos
Anteriormente, alegando as confissões de um dos suspeitos, Morfeo, o ministro venezuelano de Comunicação e Informação, Jorge Rodríguez, declarou que Colômbia, México e Chile poderiam estar por trás da tentativa de assassinar Maduro.

Em 4 de agosto, um drone explodiu a uma distância de 100 a 200 metros, segundo diferentes versões, do pódio, no qual Maduro discursava durante uma celebração militar.

Um segundo drone caiu a duas quadras de onde o presidente estava.

No pódio estavam os comandantes das Forças Armadas e autoridades dos poderes do Estado.

Sete soldados da Guarda Nacional ficaram feridas, mas chefe de Estado saiu ileso.

Maduro acusou o ex-presidente colombiano Juan Manuel Santos e a oposição venezuelana por realizar o suposto atentado.

O Ministério das Relações Exteriores da Colômbia negou a acusação.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала