Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

China ajudará Venezuela a resistir a sanções dos EUA

© AP Photo / Andy WongO presidente da Venezuela com o seu homólogo chinês, Xi Jinping, durante o encontro em Pequim
O presidente da Venezuela com o seu homólogo chinês, Xi Jinping, durante o encontro em Pequim - Sputnik Brasil
Nos siga no
A China e a Venezuela assinaram quase três dezenas de acordos sobre a cooperação estratégica, inclusive nas esferas sensíveis que são alvo das sanções dos EUA, tais como as áreas de petróleo, gás, mineração, tecnologia, segurança e finanças. Este é o resultado principal da visita do presidente venezuelano Nicolás Maduro à China.

Nicolás Maduro sublinhou que os acordos assinados reforçam a tendência de aumento dos investimentos chineses nas companhias conjuntas de petróleo e gás. Sabe-se que esta é justamente uma das esferas sujeitas às sanções norte-americanas.

Foi alcançado um acordo de prospeção e extração conjunta de gás entre a Corporação Nacional de Exploração de Gás da China (CNODC) e a empresa Venezuelan Oil Company, PDVSA. É também destacado o acordo entre a companhia chinesa Yakuang Group e o parceiro venezuelano sobre a prospeção e exploração conjunta de ouro, o memorando de entendimento entre a companhia de tecnologia ZTE e o Ministério da Saúde venezuelano.

Nicolás Maduro em China - Sputnik Brasil
Por que China aposta na aliança estratégica com Venezuela?
Entretanto, não são referidos novos empréstimos de Pequim a Caracas. A edição Financial Tribune ressaltou que a empresa estatal venezuelana PDVSA cederá à Corporação Nacional de Petróleo da China (CNPC) 9,9% das ações da empresa conjunta Sinovensa, na qual a China já tem 40%.

O jornal The Santiago Times sublinhou as palavras de Xi Jinping de que a China avalia positivamente a compreensão e apoio por parte da Venezuela dos seus principais interesses e irá apoiar os esforços do governo venezuelano em busca de um caminho estável de desenvolvimento.

Agora na Venezuela têm lugar mudanças bastante sérias, ressaltou em entrevista à Sputnik China o especialista Alexandr Kharlamenko, do Instituto da América Latina. Elas devem contribuir para o desenvolvimento das relações sino-venezuelanas, antes de tudo, para a realização do programa de reorganização da economia nacional, anunciado pelo presidente em agosto. O analista destacou que essas medidas são encaradas por grande parte da sociedade venezuelana com compreensão. Até mesmo a oposição pró-americana tem estado mais conciliadora.

"É, antes de mais, um sinal claro de que a China continua e até reforça as relações com a Venezuela como um parceiro estratégico. Essa parceria foi estabelecida ainda em 1999 nos tempos de Hugo Chávez", comenta Kharlamenko.

Presidente da Venezuela Nicolás Maduro durante discurso anual na Assembleia Nacional, em Caracas, Venezuela - Sputnik Brasil
Venezuela consegue apoio chinês para Plano de Recuperação Econômica, diz Maduro
Segundo o especialista, houve muitas especulações no Ocidente, na América Latina e na própria Venezuela de que a China poderia abandonar as relações prioritárias com a Venezuela em busca de laços mais vantajosos com regimes de direita da região. Mas a China tem vindo a reafirmar os seus interesses, nunca dando fundamentos reais a tais especulações.

O analista chinês Xu Feibiao também opina que a visita de Nicolás Maduro confirmou a continuidade das relações entre os dois países.

"A cooperação entre a China e Venezuela se desenvolvia muito bem mesmo antes da guerra comercial entre os EUA e a China e das sanções impostas pelos Estados Unidos à Venezuela. Antes da crise política e financeira na Venezuela, Pequim e Caracas já cooperavam de forma bastante estreita em todo o processo industrial, desde a pesquisa até à exploração de recursos de petróleo e gás", destaca o analista chinês.

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela no Fórum Internacional Semana da Energia da Rússia - Sputnik Brasil
Programa de recuperação econômica gera reações positivas no mundo, declara Maduro
Ele acrescenta que a China concedeu grandes empréstimos e investimentos à Venezuela. O desenvolvimento das relações sino-venezuelanas ajudará a recuperação econômica, estabilizará os meios de subsistência da população, bem como contribuirá para o desenvolvimento estável de toda a região, destaca. No mesmo tempo, o desenvolvimento econômico do país garantirá a segurança dos grandes investimentos chineses.

"Nos últimos tempos os EUA têm agitado constantemente a ameaça das sanções. Eles não apenas impuseram sanções contra a Rússia, o Irã e a Turquia, mas também contra a Venezuela. O desenvolvimento da cooperação entre a China e a Venezuela tem seus próprios motivos. Na verdade, eles são ditados na sua maioria por interesses bilaterais, e não por motivos de resistência aos EUA. Este é o fundamento da política chinesa", comentou Xu Feibiao.

O jornal chinês Global Times ressalta que não se pode negar o aumento da presença chinesa na Venezuela e que os EUA encaram esta presença com ceticismo por razões geopolíticas.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала