Tenente-coronel norte-americano indica o principal problema militar dos EUA

CC BY 2.0 / Justin Connaher / Soldado do exército dos EUA com binóculo
Soldado do exército dos EUA com binóculo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Washington carece de líderes sábios que consigam perceber que o exército é somente uma das ferramentas que deve ser usada cuidadosamente e moderadamente, acredita o tenente-coronel aposentado do Exército dos EUA, Daniel Davis.

Seu artigo foi publicado na revista The National Interest. De acordo com ele, irritando a China e provocando a Rússia com operações militares perto de suas fronteiras, Washington põe em risco sua própria segurança.

Molde para emissão de cédulas de dólares norte-americanos para oferta com o retrato de Donald Trump - Sputnik Brasil
'Nós realmente não temos aliados, temos satélites': como EUA manipulam outros países
Além disso, os Estados Unidos proporcionam garantias militares para países pequenos que podem envolver Washington em uma guerra.

"Participamos em operações militares ativas em dezenas de países onde os interesses de segurança dos EUA não estão em jogo", assinalou Davis.

De acordo com o tenente-coronel, os EUA são os donos das maiores Força Aérea e Marinha do mundo, contudo, Washington deve reanalisar sua política.

"Somos uma potência global tanto militar, como econômica. A maior parte do domínio norte-americano é baseada em nosso equipamento militar e tecnologias. Contudo, nossa dependência destas tecnologias é uma faca de dois gumes", advertiu o tenente-coronel.

Bandeira dos EUA em um dos navios da Marinha dos EUA - Sputnik Brasil
EUA reativam segunda frota para conter Rússia no Atlântico Norte
Enquanto isso, Davis acredita que caso os adversários dos EUA recorram a armas espaciais e destruam os satélites de navegação e vigilância norte-americanos, Washington perderá todo seu potencial militar de uma vez.

Sendo assim, para preservar seu estatuto de "potência global", Daniel Davis vê duas soluções.

Em primeiro lugar, Washington não pode continuar usando seu poder militar constantemente ou ameaçar seus aliados para estes cumprirem suas exigências. De acordo com ele, tal comportamento causa medo perante os EUA e incentiva seus adversários a aumentar seus investimentos em pesquisas militares e elaboração de contramedidas.

Segundo, conforme Davis, Washington não deve dissipar seu poderio militare, tornando-se "mestre de guerras em pequena escala e operações de contra-insurgência", o que levou ao gasto de trilhões.

"O uso excessivo de nossas Forças Armadas e o subdesenvolvimento de suas capacidades nas últimas duas décadas corroeram nosso domínio militar global. Para recuperar essa grande brecha e reforçar a segurança de nosso país, precisamos preservar melhor nossa força e começar a reduzir imediatamente o posicionamento de nossas forças ativas – e em grande parte desnecessárias – por todo o mundo. Caso o façamos com êxito, aumentaremos nossa segurança nacional", concluiu o militar.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала