Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Se atacarem Irã, EUA e seus aliados na região serão atingidos, avisa clérigo iraniano

© AP Photo / Ebrahim NorooziClérigo iraniano Ahmad Khatami proferindo um sermão durante uma cerimônia religiosa em Teerã, junho de 2018
Clérigo iraniano Ahmad Khatami proferindo um sermão durante uma cerimônia religiosa em Teerã, junho de 2018 - Sputnik Brasil
Nos siga no
O influente clérigo iraniano Ahmad Khatami declarou que a proposta do presidente americano Donald Trump de negociações diretas com Teerã é inaceitável e avisou Washington sobre as consequências de um possível ataque contra o Irã, de acordo com a agência Mizan News.

"Os americanos dizem: 'vocês devem aceitar o que dizemos durante as negociações.' Mas isso não são negociações, e, sim, ditadura. A República Islâmica e a nação iraniana vão se opor à ditadura", afirmou Khatami, citado pela agência.

O clérigo iraniano também avisou aos EUA que, se atacarem o Irã, os próprios Estados Unidos e o seu aliado Israel serão atingidos.

"O preço de uma guerra com o Irã é muito alto para [Estados Unidos da] América. Eles sabem que, se prejudicarem este país e este Estado de alguma maneira, os Estados Unidos e o seu principal aliado na região, o regime sionista [de Israel], serão atingidos", afirmou Khatami.

Conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton - Sputnik Brasil
Bolton: efeitos das sanções dos EUA sobre Irã são 'mais fortes do que esperávamos'
Khatami não especificou que forças seriam utilizadas, mas antes o Irã disse que, se fosse ameaçado, poderia atacar cidades israelenses com seus mísseis.

Mais cedo, o líder estadunidense Donald Trump afirmou que qualquer país que tenha negócios com o Irã não poderá negociar com os EUA, referindo-se às sanções contra Teerã reintroduzidas neste mês.

Em resposta, o presidente iraniano, Hassan Rouhani, acusou os EUA de usarem "guerra psicológica" visando "semear a divisão entre os iranianos".

Washington pretende aplicar uma nova rodada de sanções contra Teerã, tendo como alvo seu setor petrolífero e de gás como parte da saída dos EUA do acordo nuclear iraniano, anunciada em maio por Trump.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала