EUA consideram 'anormal' comportamento de satélite russo

© REUTERS / Shamil ZhumatovLançamento do foguete Proton-M com satélite militar russo do cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão (imagem ilustrativa)
Lançamento do foguete Proton-M com satélite militar russo do cosmódromo de Baikonur, Cazaquistão (imagem ilustrativa) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os EUA consideram a conduta do satélite lançado pela Rússia em outubro de 2017 anormal para aparelhos da categoria indicada por Moscou (satélite de inspeção), refere o comunicado da subsecretária de Estado para Controle de Armas, Ilem Poblete.

"O comportamento dele não corresponde a algo visto antes: desde a inspeção na órbita até capacidades de garantir a orientação no espaço, incluindo outras ações dos satélites de inspeção russos. Nós não sabemos ao certo o que é isso, e não temos forma de identificar isso", declarou Poblete na conferência de desarmamento, realizada em Genebra.

Presidente dos EUA, Donald Trump - Sputnik Brasil
Trump: adversários dos EUA já iniciaram militarização do espaço
A categoria de "satélites de inspeção" se refere habitualmente a aparelhos capazes de mudar de órbita e interagir com outros satélites.

Ela acrescentou que os EUA exprimiram a sua preocupação durante muitos anos, quando a Rússia elaborava armas antissatélite.

Segundo ela, os EUA se preocupam com o fato que o satélite pode fazer algo contrário às intenções dos proprietários, já que tais ações provocam incerteza quanto às ações de outros satélites, bem como quanto às intenções dos que exploram o aparelho.

A subsecretária assinalou que a transparência e clareza das intenções são muito importantes para manter a confiança e certeza nas situações que dão pouco tempo para responder. Para ela, tudo isso sublinha os defeitos críticos na lógica e no texto do acordo proposto sobre a prevenção de instalação de armas no espaço.

Lançamento do satélite Angosat-1 do cosmódromo de Baikonur, 26 de dezembro de 2017 - Sputnik Brasil
Como será o próximo satélite angolano construído com ajuda da Rússia?
Em conclusão, Poblete declarou que os participantes da conferência devem dar passos concretos para assegurar a segurança, a estabilidade e a vitalidade do espaço, e acrescentou que o projeto de acordo proposto pela China e Rússia não pode ser considerado um mecanismo apropriado para isso.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала