- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Putin: combate ao terrorismo e economia são principais áreas de trabalho do BRICS

© Sputnik / Vladimir Astapkovich / Abrir o banco de imagensPresidente russo Vladimir Putin durante a coletiva de imprensa após a 10ª cúpula do BRICS em Johannesburgo, África do Sul
Presidente russo Vladimir Putin durante a coletiva de imprensa após a 10ª cúpula do BRICS em Johannesburgo, África do Sul - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O líder russo afirmou, durante a coletiva de imprensa após a cúpula do BRICS, que por enquanto o grupo não pretende ampliar o número de participantes, mas não exclui um alargamento no futuro.

"Uma das áreas [de trabalho da organização] […] é o combate ao terrorismo e a coordenação das nossas atividades na política e na economia no sentido mais amplo da palavra", declarou o presidente.

Putin sublinhou que nenhum país lidera no grupo e que todas as decisões são tomadas por consenso, acrescentando que, por enquanto, o número dos países participantes não será alterado.

"Aqui não há nenhuma […] liderança formal. Todos os assuntos são resolvidos, as decisões são tomadas por consenso, com respeito total pelos interesses de todos os participantes desta organização", ressaltou o presidente russo. "E isso é a sua grande vantagem", acrescentou.

Presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo angolano, João Lourenço, na margem da 10ª cúpula do BRICS em Joanesburgo - Sputnik Brasil
Putin: Rússia pretende ampliar assistência energética a países africanos
Ao mesmo tempo, segundo ele, os representantes do BRICS não excluem no futuro o aumento do número de países-membros.

O mandatário russo destacou que os candidatos à adesão ao BRICS mostram seu desejo de trabalhar no grupo, mas os atuais países-membros encaram o possível alargamento com cautela.

"Os candidatos […] mostraram sua vontade e prontidão de trabalharem no BRICS […], mas no encontro restrito de hoje todos os meus colegas abordaram o assunto com cautela, mas, claro, com vontade de cooperar com outros países e sem excluir no futuro próximo o alargamento do BRICS", sublinhou.

É que, segundo Putin, é uma questão que precisa ser melhor analisada, mas isto não significa que a "organização tem as portas fechadas".

Putin disse que a Rússia não pretende abandonar o dólar, pois é uma moeda de reserva universal, ressaltando que a Rússia irá utilizar o dólar tanto quanto os EUA não o impeçam.

Presidente russo, Vladimir Putin, líder chinês, Xi Jinping, e presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, (de esquerda para a direita) durante a X cúpula dos BRICS, em Johannesburgo - Sputnik Brasil
Em meio a guerra comercial de Trump, BRICS celebram cooperação em Joanesburgo
"A Rússia não abdica do dólar. O dólar é uma moeda de reserva universal. O euro pode mais ou menos pretender desempenhar este papel, mas não o consegue plenamente", afirmou Putin, respondendo à pergunta sobre a decisão da Rússia de reduzir o montante de títulos do Tesouro dos EUA.

Durante a coletiva, o presidente também relatou que os líderes do grupo saudaram a iniciativa de seus países participarem mais ativamente em ações humanitárias na Síria.

Entre os temas-chave da 10ª cúpula do BRICS Putin destacou a "oposição às abordagens unilaterais nos assuntos internacionais e o uso das vantagens da Quarta Revolução Industrial Digital", entre outros.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала