Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

'Objetivo é bater Israel de frente com Rússia', diz analista sobre provocação do Daesh

© AP Photo / Tsafrir AbayovSoldados israelenses perto do lançador de mísseis Patriot na cidade de Haifa, Israel, 28 de agosto de 2013
Soldados israelenses perto do lançador de mísseis Patriot na cidade de Haifa, Israel, 28 de agosto de 2013 - Sputnik Brasil
Nos siga no
O bombardeio do território de Israel ocorrido na quarta-feira (25) foi realizado a partir da posição dos militantes do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em vários outros países), informou o Ministério da Defesa da Rússia.

Segundo o departamento, todos os terroristas do Daesh e as instalações de mísseis foram destruídos rapidamente como ataque de resposta. O Comando russo agradeceu às Forças de Defesa de Israel por neutralizarem os militantes e prevenirem uma grande provocação terrorista.

Samir Salim, que junto com seus três irmãos, é membro dos Capacetes Brancos, 12 de fevereiro de 2018 - Sputnik Brasil
Analista: evacuação dos Capacetes Brancos mostra claramente que é produto ocidental
Anteriormente, Tel Aviv informou que em 25 de julho atacou um lançador de mísseis que estava sendo usado para bombardear o território do Estado judeu a partir da Síria. A área circundante foi submetida a ataques de artilharia. Ao mesmo tempo, os militares não especificaram como o ataque começou.

O analista militar Oleg Glazunov, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, comentou sobre a situação na fronteira sírio-israelense.

"O bombardeio de Israel do território sírio foi, sem dúvida, uma provocação não apenas do Daesh, mas também daqueles serviços especiais dos países estrangeiros que estão por trás dessa organização terrorista. Eles precisavam que Israel culpasse Damasco pelo ataque e revidasse atacando o Exército do governo sírio", disse.

"O objetivo é bater Israel de frente com a Rússia, que ajuda o governo sírio a combater terroristas. Mas é improvável que nossos inimigos consigam algo. Na verdade, o Oriente Médio é como um 'grande vilarejo' onde todos sabem de tudo e não há com esconder nada. Portanto, essas provocações não levarão a lugar nenhum e não ajudarão nem os terroristas nem os financiadores", comentou Glazunov.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала